Quem sou eu

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Olha só que legal....

Americana assume grisalhos e tem carreira de modelo aos 60 sem botox ou plástica


A americana Cindy Joseph passou 25 anos de sua vida trabalhando como maquiadora, produzindo modelos e celebridades para sessões de fotos. Nunca imaginou, porém, que ela mesma pudesse estar diante das câmeras - muito menos após decidir assumir seus cabelos brancos.

Mas Cindy é hoje, aos 60 anos, uma modelo requisitada para dezenas de campanhas publicitárias e editoriais de moda de revistas.

A vida de modelo começou aos 49 anos, quando ela foi abordada na rua por um fotógrafo que a convidou para estrelar um anúncio da Dolce & Gabbana.

"Foi no mesmo dia em que eu havia cortado o que sobrava da tintura que cobria o meu cabelo branco", contou Cindy à BBC Brasil por telefone. "Depois, fui chamada novamente por uma revista. Decidi ir à Ford Models."

A agência contratou Cindy para a divisão chamada Ford Classics, que reúne modelos de faixa etária mais elevada que a média e cujos serviços são cada vez mais solicitados, em um momento em que a população dos EUA envelhece e que, em meio à recessão, o poder econômico americano tem se concentrado mais nas mãos das gerações mais velhas.

"(Os anunciantes) não estão me contratando por preocupação em fazer uma declaração sociológica, e sim porque querem vender, e (a minha geração) ainda está comprando", opina Cindy. Mas ela agrega: "É empolgante saber que, numa época em que a juventude é idolatrada, as mulheres podem envelhecer e continuar sendo vistas como bonitas."

'Curso da natureza'
Entre as suas colegas da Ford Classics, algumas estão apelando ao botox e às cirurgias plásticas. Cindy, que é mãe de dois filhos - com 41 e 37 anos de idade -, diz que tem preferido "deixar a natureza seguir seu curso, cuidando do corpo e do espírito" para parecer bem diante das câmeras.

"Os americanos são levados a crer nessa ideia de que a juventude é sinônimo de felicidade, e a velhice, de cansaço. Não é verdade. Depois dos 30, acho que ficamos mais cheios de energia, de sabedoria, de experiência. A linguagem (publicitária) tem de mudar, com uma nova perspectiva: a de que você pode ter cabelo grisalho e, ao mesmo tempo, ser capaz de correr uma maratona", diz ela.

Cindy está aproveitando sua bem-sucedida carreira de modelo para lançar uma linha de cosméticos à base de mel, que defende ser "pró-idade, em vez de anti-idade".
fonte: uol.com.br

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Gata leva saraivada de tiros de chumbinho e sobrevive na Inglaterra

 

A primeira impressão foi de que a gatinha havia sido atacada por um cachorro. No entanto, quando foi transferida a um hospital veterinário local, as balas foram encontradas em seu corpo.
Os veterinários conseguiram retirar 10 chumbinhos do corpo de Hope, mas deixou os outros com medo de que pudessem machucar ainda mais a gata. 
Além dos vários ferimentos, Hope quebrou o dedo de uma das patas como resultado do ataque.
Segundo Danah Fadhel, supervisora do centro veterinário onde Hope se recupera, a gata é afável. “Ela está recebendo muito amor e atenção por aqui. Espero que logo ela possa estar totalmente recuperada”, afirmou.
As autoridades locais afirmam que ainda não suspeitam de ninguém que possa ter atirado na gatinha e dizem que estão investigando o caso.

fonte: mirror.com

segunda-feira, 27 de junho de 2011

O Amor

É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os
fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!"

Cecília Meireles

domingo, 26 de junho de 2011


Jamais se desespere em meio às sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda.

É muito fácil ser pedra, o difícil é ser vidraça.

Me ame quando eu menos merecer,
pois é quando eu mais preciso

Quando o sábio aponta para as estrelas, o idiota olha para o dedo...

Provérbios chineses

Emerson, Lake & Palmer - lucky man

Da Felicidade
Quantas vezes a gente, em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda parte, os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!

Mas o que quer dizer este poema? - perguntou-me alarmada a boa senhora.
E o que quer dizer uma nuvem? - respondi triunfante.
Uma nuvem - disse ela - umas vezes quer dizer chuva, outras vezes bom tempo...

O Trágico Dilema
Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro.

Reflexão de Lavoisier ao descobrir que lhe haviam roubado a carteira: nada se perde, tudo muda de dono.

Se eu amo o meu semelhante? Sim. Mas onde encontrar o meu semelhante?

Mário Quintana

sábado, 25 de junho de 2011

Jogador do Grêmio é acusado por ter centro para brigas de galo
Não é estranho ver jogadores que possuem um centro de treinamento em sua casa, ou até mesmo nas fazendas e sítios onde vão passar as férias. Mas e quando o tal centro de treinamento é, na verdade, para o galo? E nem estamos falando do Atlético Mineiro…
Um centro de treinamento para galos de briga, foi isso que a polícia achou numa fazenda do jogado Fábio Rochemback, jogador do Grêmio de Porto Alegre.
Além do crime contra os animais, foram encontradas  armas e carne de animais silvestres congeladas. As buscas foram feitas em duas fazendas do jogador. Ele vai precisar dar explicações na delegacia de Porto Alegre, onde mora, ou em Soledade.
A fazenda é para criação de frangos, não de galos de rinha. Também disseram que havia javali, mas era porco. Isso é coisa de quem tem ciúmes dele, falou o pai de Rochemback, Sr. Juarez, que nega o envolvimento do filho nas rinhas de galo.
De acordo com o delegado que está tomando conta do caso, Sander Ribas Cajal, existem quatro testemunhas do ato. Caso o jogador seja condenado, ele pode pegar até um ano de prisão.
 fonte: eco4planet

sexta-feira, 24 de junho de 2011



Mata o mal em ti...
assim o mal do mundo
não pode mais te agredir..."
Krishnamurti

Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito.
Machado de Assis

Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz.
Platão

Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.
Confúcio

Ativistas protestam contra a indústria da carne em frente a matadouro


Cerca de 30 ativistas da PETA se despiram e se mancharam de tinta vermelha para chamar atenção para a crueldade da carne. O protesto aconteceu em frente ao Quality Meat Packers em Toronto, no Canadá, conforme informou o jornal Toronto Sun.
“Existe pouca diferença entre a carne que está empacotada nas prateleiras de uma mercearia e a carne humana que está em exibição aqui hoje”, disse Natalie Fenton, vegana há 14 anos.
“Como meu filho de cinco anos diz, ‘Eu não como os meus amigos,’” disse Miriam Porter, uma outra voluntária.
O protesto foi o primeiro de uma série de eventos parecidos que a PETA fará em todo o país entre 15 de julho e 04 de agosto.
fonte: anda 

quinta-feira, 23 de junho de 2011


"Sempre que houver alternativas tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortavel, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. 
Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências."

Cachorro biônico

Naki'o é o primeiro cão a ser equipado com um conjunto completo de pernas biônicas que trabalham naturalmente para lhe permitir correr, saltar e até nadar. As próteses foram projetadas e montadas em um procedimento pioneiro.
Abandonado e sem mãe, Naki'o e seus irmãos mal sobreviveram ao inverno rigoroso de Nebraska (EUA). Subnutrido, o cãozinho pisou em uma poça de gelo e ficou com as quatro patas presas em água gelada.
Com apenas cinco semanas de vida, ele foi levado para um centro de resgate de animais. O pobre cãozinho acabou perdendo as patas e ficou apenas com quatro toquinhos no lugar. Christie Tomlinson, uma veterinária, resolveu adotá-lo.

Com medo da dor que poderia sentir, Naki'o resignou-se a rastejar de barriga pelo chão da casa. Sua nova dona então compadeceu-se da situação e resolveu arrecadar fundos para que o cachorro tivesse as duas pernas traseiras equipadas com próteses. A empresa responsável pela implantação também se compadeceu e resolveu dar as quatro próteses para o cãozinho.
Portanto, ele tornou-se o primeiro animal com um conjunto completo de pernas novas.
A primeira vez que levantou-se nas patas biônicas foi um desafio para Naki'o, mas ele adaptou-se rapidamente e aprendeu a usar os dispositivos como se fossem patas naturais.
Depois de apenas alguns dias, ele já estava correndo e saltando. As próteses são construídas para imitar os músculos e ossos de membros de cães, permitindo-lhes fazer tudo que um animal normal faria.
Tomlinson está maravilhada com a motivação e alegria de seu cão. "Naki'o pode não só correr atrás de uma bolinha com outros cães, como, inclusive, chegar antes deles para apanhá-la". 
Agora temos o cão biônico da vida real! Isso é que a vida imitando a arte.
 fonte: uol

terça-feira, 21 de junho de 2011

Sem-teto desenganado por médicos se reencontra com cadelinha de estimação como último desejo


Uma comunidade inteira se reuniu para garantir a um sem-teto desenganado pelos médicos seu último pedido antes de morrer. Tudo o que Kevin McClain, de 57 anos, queria era se encontrar com sua cachorrinha Yurt, segundo o canal de televisão KCRG-TV.
Durante anos, McClain morou dentro de um carro, em Cedar Rapids, nos Estados Unidos, com sua cadela de estimação. No entanto, mês passado, o sem-teto foi internado com câncer no pulmão.  Os médicos disseram que ele teria apenas alguns dias de vida. 
Separada de seu dono, Yurt foi levada a um abrigo. Em poucos dias, a cachorrinha foi adotada por Kate Ungs. “Ela é cheia de energia e traz muito amor e energia para nossa casa”, disse a nova dona.
Mas, mesmo internado, McClain ainda queria se despedir de sua companheira de tanto tempo. Ainda na ambulância, quando foi levado ao hospital, o sem-teto disse aos paramédicos que tinha uma cadela e que gostaria de vê-la.
Por sorte, um dos paramédicos, Jan Erceg, também era voluntário no abrigo de animais da cidade. Ele foi atrás de Yurt e achou a cadelinha na casa da família Ungs. 
“No momento que McClain abriu os olhos e viu a cachorrinha foi uma felicidade só. Ela lambeu os braços e o rosto dele”, contou Erceg. Poucos dias depois, McClain morreu e Yurt voltou a morar em sua casa nova.
"Ela agora é parte da nossa família. Somos um grupo unido", disse Eric Ungs.

Fonte: Uol

Menino de sete anos morre à espera de transplante de medula óssea


O menino Ismael de Campos Gomes, de Rio Grande, no sul do Estado, que se tornou um dos símbolos das campanhas de doação de medula óssea, morreu na madrugada de domingo, no Hospital Conceição, em Porto Alegre.

Aos sete anos, Ismael lutava havia quatro anos contra a doença. Até um doador 100% compatível já tinha sido encontrado – uma raridade, já que a probabilidade de achar alguém com a sintonia é de uma para 100 mil pessoas.

Enquanto aguardava por um leito no Hospital de Clínicas para poder receber o transplante, sofria constantes doses de uma quimioterapia usada em adolescentes, como forma de tentar enfrentar o câncer. A instituição é a única do Estado habilitada pelo Ministério da Saúde a realizar o procedimento.

Em 15 de maio, a situação piorou. Durante mais de um mês, o quadro clínico foi se agravando e suas forças, diminuindo, na mesma proporção que acabavam as esperanças dos familiares em conseguir salvar a vida do menino.

— Ele vivia 24 horas por dia sob efeito de morfina e, ainda assim, sentia muita dor — relata a irmã, Juliana Gomes.

fonte: zero hora


A gaveta da alegria
já está cheia
de ficar vazia

Rede ao vento se torce de saudade sem você dentro.

voltando com amigos
o mesmo caminho
é mais curto

Eu sinto que você é a pessoa mais parecida comigo que eu conheço, só que do lado do avesso.

Uma moça polida levando uma vida lascada.

Alice Ruiz

domingo, 19 de junho de 2011

Iggy Pop - candy

 Estudos comprovam que quem convive com animais é mais saudável

Aparecida Eva Asseda Bravo, de 55 anos, desde criança sempre foi uma apaixonada por cachorros e, até hoje, quando se depara com algum maltratado, faz questão de alimentar e medicar. Ela é tutora de seis cachorros em casa e garante que só não ‘pega mais’ porque não tem onde acomodá-los. Para Aparecida, os animais são mais do que simples animais domésticos, são também companheiros incondicionais.
“O cão sente quando estamos com algum problema e nós também sentimos quando eles precisam de ajuda. Cães fazem muito bem para mim, pois não têm maldade no coração. Eles me fazem companhia e são decisivos para que eu me sinta sempre melhor”, revela ela.
E as pesquisas apontam que a prensença dos animais nas vidas das pessoas realmente traz benefícios. O American Journal of Cardiology, dos Estados Unidos, comprovou através de um recente estudo que aqueles que convivem com animais têm um grande parceiro no controle do estresse, na diminuição da pressão arterial e possuem menos risco de problemas cardiovasculares.
Contudo, se para a população de um modo geral, a presença de um animal é capaz de garantir mais saúde e qualidade de vida, para os idosos os resultados positivos são ainda mais significativos.
Um dos principais benefícios é que a convivência com os animais evita o isolamento do idoso, que ao levar seu animal para passear entra em contato com outras pessoas, ao passo em que tem sua parte física e motora significativamente estimulada.
fonte:  o diário




Ver muito lucidamente prejudica o sentir demasiado. E os gregos viam muito lucidamente, por isso pouco sentiam. De aí a sua perfeita execução da obra de arte.


O povo nunca é humanitário. O que há de mais fundamental na criatura do povo é a atenção estreita aos seus interesses, e a exclusão cuidadosa, praticada sempre que possível, dos interesses alheios.

A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo.

Fernando Pessoa

Com 1.800 animais, ONG vira "campo de refugiados" no Rio Grande do Sul



Ao entrar na sede da Soama (Sociedade Amigos dos Animais), a primeira reação do visitante é de espanto. Milhares de olhos se voltam para o portão de acesso e um som de latidos inicia aos poucos, até tomar conta da atmosfera. É neste terreno de 1,5 hectare, afastado do centro da cidade, onde vivem cerca de 1.600 cachorros e 200 gatos abandonados nas ruas de Caxias do Sul (a 125 quilômetros de Porto Alegre), na serra gaúcha.

Não se trata de uma favela de cães, como a chácara ficou conhecida. A Soama está mais para um campo de refugiados, onde centenas de animais, antes abandonados à própria sorte, recebem atenção e esperam por um novo lar. Só em 2010, a instituição recebeu 914 cães e gatos, e conseguiu novos lares a 491 deles.

Há 13 anos a ONG (organização não-governamental) atende os bichos, antes de encaminhá-los à adoção. São todos recolhidos da rua em péssimas condições: alguns atropelados, outros espancados. Na chácara eles são medicados e, a maioria, castrados e identificados por chip.

A organização sobrevive com a dedicação de duas dezenas de voluntários mais assíduos, afirma Natasha Oselame Valenti, 34 anos, diretora de marketing da ONG, e filha de Dinamar Oselame, uma das fundadoras. Com o auxílio deles foi desenvolvida uma grife própria, que comercializa pela internet diversos produtos, como camisetas, chaveiros e chinelos, que ajudam na renda da ONG.

Da prefeitura de Caxias do Sul – que também cede o terreno para a Soama - vem uma verba mensal, que serve para o pagamento de dez funcionários, um veterinário e 14 toneladas de ração por mês. “Descobrimos que existe uma lei federal que afirma que os animais são tutelados pelo Estado. Procuramos o Ministério Público, que fez com que essa lei seja cumprida em Caxias”, conta Natasha, ao se referir ao artigo primeiro do decreto 4.645, de 1934.

Paisagem
A imagem das casinhas de madeira dispostas por toda a extensão do lugar dá um ar de aparente desordem. Mas é puro engano. Cada animal tem dois potes, um para água e outro para comida, e fica amarrado à sua casa, o que delimita o seu espaço. Eles não podem ficar soltos, já que são separados por tamanho, idade, humor e agressividade.

São poucos os ferozes, como um, sem nome, de grande porte, que Bira, um dos tratadores, advertiu: “não chega perto desse aí, não”. Jorge Maciel, o Bira, tem 49 anos e há 12 meses trabalha na Soama. Era restaurador de móveis, até que foi chamado à chácara para realizar um pequeno conserto. “Foi o destino que me trouxe aqui.”

Bira é o “empregador”, o homem que avalia se o novo servente tem condições de trabalhar no cuidado dos bichos. “Esses animais dependem da gente para comer e beber. Por isso esse tipo de trabalho tem que se fazer com alegria e amor.”

Há cerca de um ano Giovane da Silva, 20 anos, ex-ajudante em uma transportadora, passou pela aprovação de Bira. O trabalho na ONG é menos braçal, mas exige muito ânimo: “A gente trabalha até em fim de semana. Mas vale muito a pena. Quando estou de folga, sinto saudade dessa bicharada”, admite o jovem, enquanto caminha pelas centenas de cachorros, repondo os potes de água um a um.

Preconceito
“Por que o vira-lata vale menos? O cachorro adotado é eternamente grato ao seu dono”, afirma Natasha, ao condenar o preconceito da população com os animais com mistura de raças. Ela tem realizado palestras em escolas da cidade para divulgar o trabalho da organização e ensinar a importância de se tratar um animal com respeito. “É difícil fazer o adulto que pensa que bicho é um objeto mudar de idéia. Porém, as crianças são muito mais abertas.”

E é por muitos desses adultos que Natasha é questionada sobre o trabalho que faz. “Tanta criança passando fome na rua, alguns dizem. Então respondo: compaixão é por tudo e por todos.”
fonte: uol.com.br
Alma Gêmea

A quase totalidade das pessoas procura pelo parceiro ideal, pelo par perfeito, alguém com quem viverá um conto de fadas com final feliz. Mesmo aquelas que são menos sonhadoras, com os pés bem fincados na terra, imaginam viver uma relação gratificante e harmoniosa. Esse desejo acabou criando o mito da existência da metade da laranja, da alma gêmea, do par perfeito, formando um casal harmônico, onde as brigas não existam e o relacionamento seja vivido num mundo paradisíaco e, porque não dizer, utópico. 

Como nas piadas, existem duas notícias, uma boa e outra ruim. A boa é que existem, sim, almas gêmeas, e, a ruim, que encontrá-la não é tarefa fácil e, tendo essa sorte, a convivência não é absolutamente pacífica ou tranqüila. As explicações mais convincentes acerca do assunto são aquelas encontradas na Cabalá e que respondem a maioria das perguntas corriqueiras que são feitas quando se trata de relacionamento afetivo. 

Primeiramente, é bom que se diga que todas as pessoas têm sua alma gêmea. Na verdade tem duas, e mais à frente virá a explicação. O relacionamento de almas gêmeas é instigador, pois a relação entre elas deve ser de crescimento, de complemento, de compartilhar. Cai aqui a primeira (falsa) idéia de que o relacionamento perfeito é aquele em que ambos são tão parecidos que não brigam jamais, pois pensam igual, reagem da mesma forma. Essa não é uma relação de alma gêmea, mas sim de duas pessoas quase iguais, onde nenhuma ensina ou aprende com a outra; há uma estagnação, como um tanque com água parada. O que ocorre com essa água? Ela apodrece, a vida vai desaparecendo, o oxigênio acabando. 

Almas gêmeas são diferentes, mas não antagônicas; são distintas, mas complementares. Podem ser de religiões conflitantes, crenças opostas, com grande diferença de idade, cultura ou origem econômica díspares. Isso porque foram criadas para que se encontrem e se relacionem de forma a crescerem individualmente. O parceiro acrescenta, ensina e a relação é uma rua de mão dupla. Claro que atritos e divergências existirão, mas serão entendidos e superados, possibilitando a convivência rica. 

Como identificar a alma gêmea? Quando há o encontro e a primeira troca de olhares, a tal química acontece, a eletricidade é sentida. Há uma sensação boa de fatalidade, do destino sendo acionado, de familiaridade, pois as duas almas se reconhecem e se alegram pelo reencontro. Começa aqui a relação frutífera, de opostos que não se repelem, ao contrário, se atraem e se completam. Vem a vontade de compartilhar cada minuto, cada pensamento, cada novidade aprendida. É uma relação estimulante, onde um vibra com o êxito do outro, e o que obteve sucesso reconhece que só o atingiu porque foi incentivado pelo parceiro. Ambos aprendem, ensinam, agradecem e são generosos. 

Chegou a hora de explicar a diferença entre as duas almas gêmeas que cada pessoa tem. Uma é a alma gêmea de frente e a outra a de costas. Geralmente nos deparamos primeiro com a de costas. Como saber a diferença? O início do relacionamento é praticamente o mesmo, com a química sendo acionada e a eletricidade ligada. O casal se une e tudo parece ir às mil maravilhas, mas, aos poucos, a intransigência se estabelece, as cobranças se sucedem e surgem duas alternativas possíveis, ou a separação ou a convivência relativamente pacífica, com um dos cônjuges se submetendo ao outro, fazendo concessões constantemente e aí nenhum dos dois cresce com essa relação. Também pode ocorrer a infidelidade ou mesmo agressões verbais ou físicas. 

A curiosidade acerca do assunto é grande e existe a necessidade de descobrir as pistas que levarão a essa re-união feliz. Voltar a se unir àquela pessoa que formava o par, e da qual foi separada para poder desenvolver as qualidades individuais. O reencontro, muito tempo depois, possibilitará a vivência plena e o crescimento máximo. A astrologia consegue identificar algumas dessas pistas e auxiliar o casal, a saber, onde, e como, podem crescer como parceiros. A sinastria, que é a comparação e interação de duas pessoas representadas por seus mapas natais, analisa o potencial da relação. Entre alguns itens, a análise do Vertex tem um peso grande. 

A procura continua e continuará, porque, segundo a Bíblia, "não é bom que o homem esteja só". Filósofos afirmam que o homem é um ser social. Alguns renunciam a essa tendência natural e tornam-se celibatários, dedicando todo o potencial de amor e compartilhamento a ajudar ao próximo, aos mais necessitados. Outros preferem a existência solitária, ensimesmados. Inegavelmente a grande maioria procura o par perfeito, a alma gêmea, e nesse caminhar aprendem a ser pessoas melhores, mais completas e, quando encontram esse outro pré-destinado, a frase "foram felizes para sempre" se concretiza. 

Elizabeth Nakata 

sábado, 18 de junho de 2011


"Não procure por felicidades, graças bem-aventuranças distantes e desconhecidas, mas por aquilo que você gostaria de viver de novo e por toda a eternidade."

“Toma cuidado com os que se mostram pequenos. Em tua presença se sentem pequenos e sua baixeza arde e alimenta invisível vingança contra ti.”

Friedrich Nietzsche

Norah Jones - all your love

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Estamos perdendo de olé!

Nós, os defensores dos direitos dos animais, estamos perdendo de dez a zero. E por um fato muito simples: torturar animais é divertido para a maioria dos humanos.
E dá poder, glória e muita, muita grana.
Não falo só dos ditos bichos. Digo que começa nos bípedes do topo da cadeia alimentar.
Vejam o sucesso que faz ver dois humanos se espancando dentro de uma jaula. Ou dentro de um ringue. Ou nas pistas, com carros assassinos.
Quanto aos bípedes humanos, deixa pra lá. Ganham bem pra verterem sangue, e é um sofrimento voluntário.
Já no caso dos que estão abaixo das leis da selva de pedra, é diferente.
Eles se ferram sem terem opção.
Boa parte das tribos africanas (e do Brasil também) acham que bicho não sofre como gente. Ou, se sabem, fingem que é cultura étnica. Comem macacos e tudo que se move como sempre fizeram há milhares de anos.
A medicina tradicional chinesa não abre mão de seus remédios feitos com pênis de tigre, chifres de veados e marfins de elefantes, numa boa.
Muitas tribos árabes, além de espancarem mulheres, adoram rinhas de galo, de camelos, de brigas de cachorros, de ursos contra cães bravos e até de pacíficas perdizes se bicando até a morte.
Falar nisso, nunca ouvi nenhuma feminista brasileira falando contra as burkas! Devem estar muito ocupadas indo justificar o maridão, na cadeia, que as encheu de porrada horas antes.
Vamos, porém, para um espetáculo bem ocidental, bem civilizado, bem estabelecido.
As touradas.
Dizem que é lindo e inesquecível.
Pelo que vi, é mesmo.
O touro recebe vinte estiletes em diversas partes do seu corpo. Os estiletes, de aço, são enfeitados com bandeirinhas coloridas. Depois, entram em ação os cavalariços que o espetam com lanças. Daí, já bem cansado e ferido, ele está pronto para o toureiro, o bonitão, machão, aclamado pela multidão.
E é um olé milionário: atualmente, 30 milhões de pessoas assistem às touradas, apenas na Espanha; sua indústria emprega gera 2 bilhões de dólares ao ano.
Ah, sim, em Portugal o touro é sacrificado longe do público. Por questões humanitárias, claro.
Brasileiro é tão cordial e bonzinho que não tem isso. Apenas temos rodeios e vaquejadas. Argh!

Ulisses Tavares 


Aprendi com as Primaveras a me deixar cortar para poder voltar sempre inteira.

Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre.

E minha alma, sem luz nem tenda,
passa errante, na noite má,
à procura de quem me entenda
e de quem me consolará...

Cecília Meireles

Não me Peçam Razões...

Não me peçam razões, que não as tenho, 
Ou darei quantas queiram: bem sabemos 
Que razões são palavras, todas nascem 
Da mansa hipocrisia que aprendemos. 

Não me peçam razões por que se entenda 
A força de maré que me enche o peito, 
Este estar mal no mundo e nesta lei: 
Não fiz a lei e o mundo não aceito. 

Não me peçam razões, ou que as desculpe, 
Deste modo de amar e destruir: 
Quando a noite é de mais é que amanhece 
A cor de primavera que há-de vir.
 

José Saramago

quinta-feira, 16 de junho de 2011


Este é o Aranha. Um velhinho muito teimoso, que recolhemos em Cachoeirinha. Foi abandonado para morrer. Muito magro e sem forças para ficar em pé, foi recolhido das ruas no último dia 10 de junho. Depois de muitas tentativas para deixá-lo de pé ministrando soro, complexo vitamínicos e medicação para dor, o veterinário Chico resolveu colocá-lo na talha. A Marcia, olhando nos olhos dele, explicou que ele está livre da carroça para sempre. Falou também que ele vai ficar conosco até o final de sua vida. Terá casa quentinha, comida e água fresca, muitos cuidados e muito carinho. Disse também que não adianta ele querer morrer, porque não vamos deixar! Parece que ele entendeu, pois hoje comeu muito bem, e está firme sobre as pernas. Vai continuar na talha por pelo menos mais três dias", explica a presidente da ONG Chicote Nunca Mais, Fair Soares. "O porquê do nome 'Aranha'? Ele não parece uma aranha descansando na teia?", brinca.
fonte: chicote nunca mais

terça-feira, 14 de junho de 2011

Uma bela tela de natureza viva para colocar na sua sala

Por mais perfeito que uma pintura possa ser, ele nunca vai ter o perfume de uma planta de verdade na sua sala. Então que tal colocar uma planta de verdade numa moldura de quadro? Ok, se você não gostar disso pode colocar plantas por toda parede!

Esse é o conceito de “paredes verdes da empresa sueca Greenwork. A empresa faz a instalação de plantas em seu trabalho, ou casa.
Você pode escolher o modela “na tela”, em balcões, ou até estrutura móveis. Você só vai precisar guardar um pouco de tempo para regar a parede.

 fonte: eco4planet

segunda-feira, 13 de junho de 2011

algumas pessoas vegetarianas...

Reflexões sobre a dualidade universal....

Um homem perguntou a um sacerdote  cristão: quem criou o mundo e o sacerdote respondeu: Deus criou o mundo,
...então perguntou novamente: quem criou o pecado e o sacerdote respondeu prontamente: o demônio...
em seguida perguntou: quem criou o demônio? ...e o sacerdote perplexo disse: é claro que foi Deus quem criou o demônio...

O demônio cria o pecado e Deus cria o demônio, então:

QUEM É O VERDADEIRO PECADOR: O DEMÔNIO OU DEUS?


osho

domingo, 12 de junho de 2011

Chega de o Bem justificar o Mal!


O imbecil pega a arma e mata um monte de crianças numa escola. É o Mal, fazendo seu papel, agindo como sempre foi na história humana. Mas lá vai o Bem (meio esquecidinho, que de boas intenções o inferno está cheio) tentando entender, explicar e até desculpar o “coitado” que foi vítima de bullying na mesma escola.
O insano pega o carro e atropela ciclistas como bolas de boliche. É o Mal explícito, direto, arrogante. E o Bem (especialmente a imprensa) ouvindo psicólogos para saber suas motivações íntimas.
Torturam cavalos, bois e touros nas arenas do Brasil, Colômbia e Espanha todos os dias. É o Mal se divertindo e impune. E o Bem (antropólogos, historiadores e xeretas em geral) dissertando sobre as raízes culturais do country e das touradas.
Africanos e árabes (não todos, senão estaríamos perdidos) punindo mulheres, tirando-lhes o clitóris, adorando desmatar, acabar com os animais, chutando cachorrinhos como bolas no Afeganistão. É o Mal sabendo que vai ficar por isso mesmo. E o Bem quebrando a cabeça para decidir se deve condenar essas práticas ou “respeitar” tradições milenares.
Burocratas, políticos e governantes roubando, corrompendo e saindo da cadeia, quando pegos, agradecendo a Deus por corresponder à sua fé. É o Mal crente que “deus” é a senha para a impunidade. E o Bem reproduzindo suas palavras, em som e imagens, com o pretexto de “ouvir o outro lado”.
Adolescentes matando quando, onde e quantos quiserem. É o Mal atirando, como gosta, a torto e direito. E o Bem defendendo a necessidade de defender suas prerrogativas de terem uma nova chance.
Mulheres (muitas, já quase maioria) adorando ser apenas bundas ambulantes, putinhas midiáticas. É o Mal usando o sexo (que não tem nada de ruim) como jeito de chegar lá (leia-se: grana e fama). E o Bem (em especial as mulheres pensantes) conformando-se que o feminismo já era.
Animais (todos) sendo barbarizados em nome da ciência ou da perversidade pura e simples. É o Mal apoiado na superioridade do racional sobre irracionais. E o Bem agitando seus protestos de meia dúzia de gatos pingados.
Classe ‘mérdia’ comprando carros e mais carros, comendo carne e mais carne. É o Mal escudado na lei do aproveite antes que acabe. E o Bem elogiando a expansão da indústria automotiva e das plantações de soja e cana, do progresso, enfim.
Está mais que na hora de o Bem deixar de ser bobinho e chamar o Mal de mal. Como ele é, sem retoques.
O Mal que se explique por conta própria. Se for capaz.
Ulisses Tavares

fonte: Anda
Amar e Ser Amado

Amar e ser amado! Com que anelo
Com quanto ardor este adorado sonho
Acalentei em meu delírio ardente
Por essas doces noites de desvelo!
Ser amado por ti, o teu alento
A bafejar-me a abrasadora frente!
Em teus olhos mirar meu pensamento,
Sentir em mim tu’alma, ter só vida
P’ra tão puro e celeste sentimento
Ver nossas vidas quais dois mansos rios,
Juntos, juntos perderem-se no oceano,
Beijar teus labios em delírio insano
Nossas almas unidas, nosso alento,
Confundido também, amante, amado
Como um anjo feliz... que pensamento!?

Castro Alves

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Isso vai mudar o jeito como você escova os dentes

Antes de existir escovas de dente, o pessoal da antiguidade usava alguns galhos para limpar a boca. Se depender da designer libanesa Leen Sadder, os gravetos serão os substitutos das escovas.

O graveto da foto, batizado de “THIS” (isso, em inglês), é a criação da designer para deixar o ato de escovar os dentes mais verde.

Segundo a designer, foram feitos estudos comprovando que o graveto Miswak, um ramo de árvore Salvadora Pérsica, tem eficácia em limpar os dentes e a boca. Dentro do graveto existem “cerdas” naturais que ainda contam com propriedades antimicrobianas (!) isso já basta para limpar a boca e deixar aquele hálito bacana de comercial de pasta de dente.

Sadder ainda descobriu que esse graveto era utilizado na antiguidade para esse mesmo fim.

Só que sem a embalagem reciclável que a designer criou para dar um toque mais higiênico ao graveto-escova. A embalagem também vem com um cortador (que lembra um cortador de charutos) para dar novas cerdas sempre que for necessário.

É só um protótipo, por enquanto. Mas pensa só: Hálito fresco sem gastar água e sem criar lixo! Só falta um limpador de língua.
fonte: eco4planet

quarta-feira, 8 de junho de 2011


Quero apenas cinco coisas.. 
Primeiro é o amor sem fim 
A segunda é ver o outono 
A terceira é o grave inverno 
Em quarto lugar o verão 
A quinta coisa são teus olhos 
Não quero dormir sem teus olhos. 
Não quero ser... sem que me olhes. 
Abro mão da primavera para que continues me olhando.

Pablo Neruda

"Te desejo uma fé enorme.
Em qualquer coisa, não importa o quê.
Desejo esperanças novinhas em folha, todos os dias.
Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo.
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso.
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes.
Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito.
Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.
Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz.
As coisas vão dar certo.
Vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – se não tiver, a gente inventa.
Te quero ver feliz, te quero ver sem melancolia nenhuma.
Certo, muitas ilusões dançaram.
Mas eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, eu faço força para manter algumas esperanças acesas, como velas.
 Que seja bom o que vier, pra você."

Caio Fernando Abreu