Quem sou eu

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Adote...não compre

Adote....não compre

video

ADOTANTE PARA PORCA PRENHA QUE SOFRE MAUS TRATOS!


Amigos queridos da proteção e simpatizantes,
 
Estou precisando da ajuda de todos!!!
Tem uma porca que está prenha e sofre maus tratos pelo seu "dono". Ele como a maioria dos criadores não se importam com o sofrimento desses anjinhos lindos, sempre visam o $$$ que vão lucrar em cima desses seres indefesos.
Amigos do bem, vamos salvar essa porca e seus porquinhos!!!
É totalmente contraditório nós da Causa Animal "salvarmos" cães, gatos, cavalos  e tornarmos indiferentes ao sofrimento de outras espécies. 
PORQUE AMAR UNS E DESPREZAR OUTROS? O VERDADEIRO AMOR NÃO HÁ DISTINÇÃO!!
Quero deixar bem claro que a pessoa que for adotar essa família, esteje ciente que eles não irão virar BACON.
Quem souber de alguém que AME INCONDICIONALMENTE OS ANIMAIS, por favor entre em contato comigo através do meu emailrozalles21@gmail.com ou no telefone:4426-4058. 
Muito Obrigada!
Rôzana Salles - Santo André

Apabg - feira de adoção


Não esqueçam...
01 de outubro, sábado, a partir das 10 horas
Feira de adoção da Apabg, 2º piso do estacionamento do L'America Shopping
Toda reforma interior e toda mudança para melhor dependem exclusivamente da aplicação do nosso próprio esforço.

A moral, propriamente dita, não é a doutrina que nos ensina como sermos felizes, mas como devemos tornar-nos dignos da felicidade.

Age de modo que consideres a humanidade tanto na tua pessoa quanto na de qualquer outro, e sempre como objetivo, nunca como simples meio.

Belo, é tudo quanto agrada desinteressadamente.

A amizade é semelhante a um bom café; uma vez frio, não se aquece sem perder bastante do primeiro sabor.

Immanuel Kant

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Inveja do meu cachorro

Descobri, finalmente, por que tenho inveja do meu cachorro.

Ao leitor: sou meio lento em perceber as verdades da vida, embora seja esforçado.

Eu, volta e meia, me reviro na cama, com o travesseiro repleto de pensamentos e preocupações, um despertador macio e incômodo.

Ele não.

Dorme o sono dos anjos sem os demônios inerentes à condição humana.

Bem que eu gostaria de dormir assim, sem me lembrar que, ao despertar, terei contas a pagar, compromissos a cumprir.

Ser feliz, então?

Para mim, utopia.

Para ele, basta um cafuné fortuito, gratuito.

Seu rabinho abana de felicidade por ter a que se tem e ser o que se é.

Eu não. Quero sempre ter mais e ser o que ainda não fui.

Ele mantém as quatro patinhas assentadas no chão.

Eu tropeço em minhas ilusões e enfio as mãos pelos pés.

Me produzo para sair, escolho roupas e perfumes.

Ele está sempre pronto.

Sexo? Ele vai lá e pimba, tchau, tchau. Freudianamente irresponsável.

Eu misturo amor e sexo e me ferro. Sem contar a aberração do casamento.

É grato pelo que lhe dou, sejam petiscos ou olhares.

Meu coração junta-se com a cabeça e decidem a quem devem abanar o rabinho. Um processo bem complicado e exaustivo.

E o que dizer de sua inata resiliência? Essa capacidade maravilhosa de aceitar limites físicos ou ambientais?

Meu cachorro, pela idade avançada, praticamente não enxerga mais nada.

Mas usa o olfato e vai em frente.

Eu só de ter de trocar o grau dos óculos, já faço aquele drama mexicano.

Ele não fica lambendo a ferida cicatrizada.

Eu estico e cultivo o sofrimento.

Ele vive a vida.

Eu temo a morte.

Ele é um animal.

Eu esqueço que também sou.

Ulisses Tavares é um aprendiz de vira-latas. Coisas de poeta.

Projeto GAP

Procuramos diversos meios de enriquecer o dia-a-dia dos chimpanzés em nossos santuários. Cada chimpanzé tem seu estilo e preferência para brincadeiras e hobbies, mas no geral usamos recursos como revistas, livros, capacetes, cobertores, tênis, entre outros objetos, para entretê-los e combater o tédio, que pode ser um perigo para primatas tão inteligentes no cativeiro.

Recentemente recebemos o contato de uma pessoa disposta a doar bolinhas de tênis usadas e nos demos conta de anunciar a possibilidade dereceber bolas usadas em geral (de futebol, basquete etc). 

 Se você tem esse tipo de material para doar, faça contato conosco através do e-mail  projetogap@projetogap.org.br 
para vermos a possibilidade da retirada e transporte para os santuários.
Projeto GAP - www.projetogap.org.br


Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento. 

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Fernando Pessoa

É sempre assim

O cachorro atropelado nunca tem dono. O cachorro doente, pondo sangue pelo focinho, nunca tem dono. O cachorro sarnento e cheio de carrapatos nunca tem dono. Os filhotes que apareceram no quintal ou em frente ao portão da casa nunca têm dono.

A gata que deu cria no forro da casa nunca tem dono. A gata atropelada nunca tem dono. O cão com o focinho e a boca repletos de espinhos do ouriço nunca tem dono. Quem atropela um animal, foge sem prestar socorro. É sempre assim.

Como é difícil as pessoas assumirem suas responsabilidades para com os animais. Gastam dinheiro com as drogas como o cigarro e o álcool, mas na hora de socorrer seus animais nunca têm dinheiro. Quando o cachorro é de raça e está saudável e vistoso, aí tem dono. Enquanto o cão vira-lata estiver saudável e jovem para tomar conta da casa e brincar com as crianças ele presta. Quando o vira-lata ficar doente ou velho, não presta mais. É sempre assim.

Tal comportamento é muito triste e penoso, principalmente para as vítimas, os animais.

Mas também pudera. Nós, seres humanos, classificados como racionais, nos matamos uns aos outros por ciúme, inveja, ambição, poder, vingança, ódio, racismo, opção sexual, religião, time de futebol etc.

Sendo assim, fica fácil ser cruel ou indiferente ao sofrimento dos animais. Afinal, filhos matam pais, pais matam filhos, irmão mata irmão, semelhante mata semelhante. Meu Deus, que mundo é esse?

fonte:Luciano Buzatto

Jornalista declara ser vegetariano em programa ao vivo, na Rede Globo

Vegetarianos são sempre indagados sobre o consumo de peixes. As pessoas, em geral não entendem a crueldade envolvida na pesca e no consumo do peixe, que também é um animal senciente, e que, portanto sente dor, fome e medo, como qualquer outro animal, independentemente de sua espécie.

Durante a edição do Jornal Hoje do dia 24 de setembro, exibido pela Rede Globo, o jornalista Fábio Turci respondeu à indagação de Evaristo Costa a respeito de sua opção vegetariana e o fato de não comer peixe.

Diante do comentário descabido do apresentador “eu sei que você não gosta de peixe [...]”, a resposta de Turci foi direta e assertiva: “Não é nem questão de não gostar, é que eu sou vegetariano, então eu prefiro os peixinhos vivos”, respondeu Turci.
fonte: anda
altecir: que legal, né

terça-feira, 27 de setembro de 2011

4 de Outubro – Dia de São Francisco de Assis




Dia 4 de Outubro é dia de São Francisco de Assis. Por seu apreço à natureza, é mundialmente conhecido como o santo patrono dos animais e do meio ambiente. Pra mim ele é, porém, o Santo dos Jovens. Um exemplo de conversão a ser seguido.

Francisco de Assis nasceu na cidade de Assis, Úmbria, Itália, em 1182. Pertencia à burguesia, e dessa condição tirava todos os proveitos. Como seu pai, tentou o comércio, mas logo abandonou a idéia por não ter muito jeito para isso. Sonhou, então, com as glórias militares, procurando desta maneira alcançar o status que sua condição exigia.

Contudo, em 1206 para espanto de todos, Francisco de Assis abandonou tudo, andando errante e maltrapilho, numa verdadeira afronta e protesto contra sua sociedade burguesa. Entregou-se totalmente a um estilo de vida fundado na pobreza, na simplicidade de vida, no amor total a todas as criaturas. Com alguns amigos deu início ao que seria a Ordem dos Frades Menores ou Franciscanos.

Pobrezinho de Assis, como era chamado, foi uma criatura de paz e de bem, terno e amoroso. Amava os animais, as plantas e toda a natureza. Poeta, cantava o Sol, a Lua e as Estrelas. Sua alegria, sua simplicidade, sua ternura lhe granjearam estima e simpatia tais que fizeram dele um dos santos mais populares dos nossos dias.

fonte:pevermelho.net

Companhia aérea americana cria o primeiro avião exclusivo para animais domésticos

No lugar das poltronas de avião, gaiolas confortáveis para o seu animal e mimos das comissárias de bordo, que incluem água fresca de 15 em 15 minutos, ração e ar-condicionado.

Pode parecer brincadeira, mas uma companhia aérea americana criou o primeiro avião exclusivamente de animais onde o tutor, acredite se quiser, não entra.

O transporte de animais foi questionado no Brasil quando um pug morreu de parada cardiorespiratória durante uma viagem de São Paulo à Vitória nesta semana passada. O ocorrido aconteceu na última terça-feira (13), após o cão ter ficado mais de 10 horas trancado em um local fechado durante o voo da empresa Gol Linhas Aéreas, que teria atrasado no embarque.

Operando em nove aeroportos nos Estados Unidos, a Pet Airways é uma alternativa aos tutores dos animais que têm pena de deixar os animais nas tradicionais gaiolas dos compartimentos de carga dos aviões.

Os aviões operados pela companhia são Beechcraft 1900, com turbo-hélice, utilizados em voos comerciais em outras empresas, como a US Air Continental. A diferença está na retirada das poltronas comuns para as gaiolas individuais.

Os mimos começam logo no check in, com um “Pet Lounge” exclusivo para eles. O tutor pode deixar o animal na coleira até a hora do embarque – quando ele é colocado em uma gaiola com água e algum objeto do tutor (como uma camiseta velha, por exemplo). O objetivo é tirar o máximo de carga de estresse do animal para que ele não se sinta abandonado.

Durante a viagem, os “papais e mamães” dos animais podem acompanhar o animal por vídeos na internet e também e-mails e mensagem de texto. Na chegada, nada de colocar o bicho na esteira. Os atendentes levam o animal na gaiola até o tutor.

Documentos obrigatórios

Para poder viajar, os tutores de cães precisam apresentar os exames do animal, tais como vacina anti-rábica, cinomose, hepatite, leptospirose e um exame negativo que o animal tenha algum problema fecal (14 dias antes da viagem). Caso seja positivo, o tutor precisa apresentar a medicação que o animal esteja usando no tratamento.

Entre as vacinas que os proprietários de gatos precisam apresentar estão anti-rábica, pneumonia, além do teste de fezes. Os filhotes precisam estar vacinados e ter uma autorização do veterinário para viajar.

Venda de passagens

Se as vacinas do animal estão todas em dia, é hora de comprar a passagem. A venda é feita pela internet e o valor varia de acordo com o trecho, podem custar de R$ 200 a até R$ 500 (entre US$ 100 a US$ 250) – um valor bem semelhante aos praticados nos trechos domésticos no Brasil.

É preciso informar o peso, altura, idade e raça do animal antes de comprar a passagem, já que é a própria companhia aérea que oferece as caixinhas de transporte (espécie de gaiola para o animal ser transportado).

Quem possui um animal mais agitado, que costuma latir quando fica sozinho, deve informar a companhia no ato da compra da passagem. A companhia não permite que o animal seja sedado ou tome qualquer tipo de medicação tranquilizante.
Fonte: R7

Cadela com a síndrome do cão nadador que foi encontrada no lixo volta a andar

Duas semanas depois de ser encontrada em uma lata de lixo, deformada e com a síndrome do cão nadador, Harper, uma cadela abandonada na Flórida, EUA, surpreendeu com uma rápida recuperação.

Harper, hoje com 11 semanas, foi encontrada no lixo no dia 31 de agosto em Sanford, na Flórida. Levada a um abrigo animal, a primeira reação de funcionários e veterinários foi pensar que a eutanásia seria o melhor destino para ela. A cadela sofria da síndrome do cão nadador, uma doença que exige tratamento, muitas vezes até cirurgia, mas que na maioria das vezes impede que os cães vivam muito. Os cães que sofrem deste problema ficam deitados com os braços e pernas esticados, como se estivessem nadando.

Ao ver que o animal seria sacrificado, a voluntária Erica Daniel entrou na história e decidiu levar Harper para a sua casa, para que ela pudesse ter uma noite “mais humana” antes de morrer. “Planejei levá-la para casa naquela noite, deixei ela dormir na cama conosco. Queria mostrar a ela o que era o amor”, disse Erica ao MSNBC.

No dia seguinte, Erica percebeu uma pequena melhora no cão e decidiu que não iria sacrificar o animal. O resultado, em alguns dia de convivência, foi surpreendente.

As possibilidades de melhora fizeram Erica investir no tratamento para Harper. A cadela começou a receber massagens para estimular a coordenação motora, além aulas de natação. O Hip Dog Canine Hydrotherapy & Fitness, um centro de terapia para animais em Winter Park, também na Flórida, ofereceu hidroterapia e massagens terapêuticas a Harper, gratuitamente.

Tudo isso foi contribuindo para a melhor de Harper que, hoje, já consegue andar quase que com movimentos perfeitos. Em um mês, Erica acredita que Harper estará pronta para a adoção.

“Nesse momento ainda não tomamos nenhuma decisão. Se eu abrir mão dela, poderei cuidar de outro cão. Mas ela é como uma filha para mim. Ainda não decidi”, disse Erica. “Cães precisam de amor de um lar. O mundo estava contra ela, mas ela foi uma lutadora”.
fonte: anda

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Mais uma do bicho homem...inacreditável esta foto


Ninguém é obrigado a gostar de animais, ou de qualquer outra coisa, mas nada justifica maltratar um ser vivo. NADA. E foi uma demonstração desse tipo de estupidez humana que se registrou numa praia chinesa de Xiamen, em Fujian, quando um monstro (não posso acreditar que era um humano, como nós) jogou um cãozinho ao mar, diversas vezes.
O meliante o fez a primeira vez e o inocente cão nadou para voltar ao dono que, novamente, o lançou para o mar. As pessoas que presenciaram o ato gritavam para o monstro parar com essa idiotice, mas ele continuou até que, percebendo a má intenção do antigo dono, ou por total exaustão, o cãozinho preferiu nadar para uma pedra no meio do mar.
Note na foto uma pessoa fotografando e outras ao redor, todos aparentemente sorrindo (!).
Para a felicidade de nós, humanos de verdade, uma chinesa adotou o cachorrinho que foi resgatado por um nadador.
E quanto ao animal de verdade nessa história? Enquanto as pessoas se preocupavam em salvar o peludo o sujeito foi embora pra casa como se nada tivesse acontecido
fonte:eco4planet

domingo, 25 de setembro de 2011

Todos os seres vivos tremem diante da violência. Todos temem a morte, todos
amam a vida. Projete você mesmo em todas as criaturas. Então, a quem você poderá
ferir? Que mal você poderá fazer
Buda
As obras-primas devem ter sido geradas por acaso; a produção voluntária não vai além da mediocridade.

A amizade é um meio de nos isolarmos da humanidade cultivando algumas pessoas.

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.

Entre as diversas formas de mendicância, a mais humilhante é a do amor implorado.

Carlos Drummond de Andrade

Cachorro que foi jogado no lixo à beira da morte se recupera

Todos se recordam do caso do setter inglês que foi encontrado, em Palermo, na Itália, amarrado dentro de um saco em um latão de lixo com um bilhete escrito “Te amo”. Ainda não se sabe quem cometeu horrendo e irresponsável ato, mas a notícia é que Tao, como foi batizado o cachorrinho, está se recuperando.

Ele come bem e se mexe sozinho, mesmo que ainda sinta um pouco de dor na parte traseira do corpo. Procura o contato com os humanos que estão cuidando dele agora, como que pedindo os carinhos que lhe faltaram. Apesar dos aproximadamente 12 anos de idade, está reagindo bem ao tratamento.
Alessandra Musso, da Liga Italiana pelos Direitos Animais é a responsável pelo tratamento de Tao. Ela explicou ao site Pet Passion que o cachorro ainda não está em condições de ser adotado devido à saúde frágil e devido às investigações que ainda seguem. “No momento oportuno nós mesmos vamos avaliar os pedidos de adoção e decidir qual será a situação melhor para Tao”, disse Alessandra.

Tao não está em um canil e não está mais sob a tutela da Prefeitura de Palermo. O cachorro está sob os cuidados da Liga. “Até hoje chegaram cerca de 50 pedidos de adoção.”

O cãozinho se tornou um símbolo de resgate, de vida e da importância de se respeitar a dignidade de todos, não importa a espécie. Ele se tornou também um símbolo graças à atenção que a imprensa italiana tem dado: os jornais impressos e os telejornais estão preocupados com Tao. Contam e recontam a história e muitas pessoas certamente tomaram consciência do respeito que todos devem ter a cada vida.

Mas cada história tem um resultado negativo. Cada associação ou voluntário tem outros animais que também esperam por uma família. Para Tao aparecem muitas portas abertas com novas famílias prontas para acolhê-lo. Alguns por amor, muitos porque a nova família de Tao terá seus “15 minutos de fama”.

Se as pessoas quiserem realmente fazer um gesto de amor sem se preocupar com a fama, ajudem a esvaziar os canis e os gatis.

fonte: anda
ERRANTE

Meu coração da cor dos rubros vinhos
Rasga a mortalha do meu peito brando
E vai fugindo, e tonto vai andando
A perder-se nas brumas dos caminhos.
Meu coração o místico profeta,
O paladino audaz da desventura,
Que sonha ser um santo e um poeta,
Vai procurar o Paço da Ventura...
Meu coração não chega lá decerto...
Não conhece o caminho nem o trilho,
Nem há memória desse sítio incerto...
Eu tecerei uns sonhos irreais...
Como essa mãe que viu partir o filho,
Como esse filho que não voltou mais!
Florbela Espanca

sábado, 24 de setembro de 2011

Milton Nascimento - minas

video
Como zeladores do planeta, é nossa responsabilidade lidar com todas as espécies com carinho, amor e compaixão. As crueldades que os animais sofrem pelas mãos dos homens estão além de nossa compreensão. Por favor, ajudem a parar com esta loucura.
Richard Gere


Eu sou a favor dos direitos animais bem como dos direitos humanos. Essa é a proposta de um ser humano integral."
Abraham Lincoln


Você acabou de jantar, e por mais que o matadouro esteja escrupulosamente longe dos olhos, a quilômetros de distância, ainda haverá cumplicidade,"
Ralph Waldo Emerson


Quando me tornei vegetariano, poupei dois seres, o outro e eu."
Prof° Hermógenes

Olha só que legal...


Ela ficou conhecida como a "Louca dos Gatos", mas não acredita que seja maluca, apenas excêntrica. Lynea Lattanzio tem de cerca de 700 gatos em sua casa, nos arredores de Fresno, na Califórnia, cuida dos bichinhos doentes, fica com aqueles que perderam seus donos e dá muito amor a todos eles.

“Eu não sou louca, apenas o que eu faço é uma loucura. Eu prefiro dizer que sou excêntrica ou masoquista. É a mesma coisa, mas é uma forma mais agradável de dizer”, brinca Lynea.

A empreitada começou em 1981 quando ela se divorciou do marido, os gatinhos foram chegando à sua casa e ficando. Ela, que foi proibida de ter felinos quando era criança, pois sua mãe não era muito amiga dos peludos, acabou criando uma espécie de santuário para os bichinhos: são 12 hectares de propriedade inteiramente dedicados a eles.

Por semana são gastos cerca de US$ 40 mil – o que dá mais de US$ 5 mil por dia – em comida, remédios e tudo o mais que for necessário para manter os amigos peludos. Ela mantém a casa com ajuda de uma equipe de voluntários e doações.

A chamada “The Cat House” se tornou referencia na facilitação de adoção de animais e ainda oferece serviços de esterilização e castração com preços camaradas. Lá também é mantida uma espécie de creche para os filhotinhos, casa de repouso para os idosos e uma unidade de terapia intensiva.

Segundo Lynea em entrevista ao Mail Online, a maioria dos gatos que chegam até ela vem deNova York. As histórias são sempre muito parecidas: seus donos decidem que seus apartamentos estão pequenos demais para eles e o bichano, logo, se desfazem do animal de estimação.

Como se não fosse suficiente o barulho de miados o dia todo, Lynea resolveu ampliar “sua área de atuação”: The Cat House há pouco tempo passou a ter cães também. Já são 15 e ela diz que este é apenas o começo. É muito provável que em breve ela deixe de ser apenas a “louca dos gatos” e passe a ser “a louca do reino animal de quatro patas”.
fonte: uol

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

EUA LANÇAM PRIMEIRO CARRO ESPECÍFICO PARA CADEIRANTES


Os EUA lançaram o MV-1, o primeiro carro voltado exclusivamente para cadeirantes. Trata-se de uma van montada em chassi como visto num carro tradicional, contendo as adaptações que permitem a acessibilidade ao cadeirante.

O carro é fabricado pela empresa VPG e custa US$ 40mil (aproximadamente R$ 76 mil) e usa motor e transmissão cedidos pela Ford. A rampa de acesso para uso do cadeirante parte de uma porta lateral com 1,42 mx91 cm. O veículo conta com um espaço interno de 5,4 metros cúbicos, tendo seis assentos.

Os US$ 40 mil pagos pelo MV-1 custam menos do que adaptar um carro para cadeirantes que sai por volta de US$ 55 mil, valor esse pago por um veículo de luxo nos EUA. Esse valor em alguns estados americanos ainda pode cair com políticas de incentivos fiscais. Bem que alguma montadora no Brasil podia seguir o mesmo exemplo, não é mesmo. Mercado para isso há.
fonte: R7
LegalNão leve a faxina tão a sério!Falei bobagem


Pense que a camada de pó vai proteger a madeira que está por baixo dela! 

Uma casa só vai virar um lar quando você for capaz de escrever " Eu te amo" sobre os móveis !

Antigamente eu gastava no mínimo 8 horas por semana para manter tudo bem limpo, caso "alguém aparecesse para visitar" - mas depois descobri que ninguém passa "por acaso" para visitar- todos estão muito ocupados passeando, se divertindo e aproveitando a vida! 
E agora, se alguém aparecer de repente?
Não tenho que explicar a situação da minha casa a ninguém...



... as pessoas não estão interessadas em saber o que eu fiquei fazendo o dia todo enquanto elas passeavam, se divertiam e aproveitavam a vida...
Caso você ainda não tenha percebido: A VIDA É CURTA .... APROVEITE-A!!!

Tire o pó ... se precisar...

mas não seria melhor pintar um quadro ou escrever uma carta, 
assar um bolo e lamber a colher suja de massa, plantar e regar umas sementinhas? 
Pense muito bem a diferença entre QUERER e PRECISAR! 
Tire o pó... se precisar...
mas você não terá muito tempo livre... 


para beber champanha, nadar na praia (ou na piscina), escalar montanhas, 
ouvir música e ler livros, cultivar os amigos e aproveitar a vida!!
Tire o pó... se precisar... 
mas a vida continua lá fora, o sol iluminando os olhos, o vento agitando os cabelos, um floco de neve, 
as gotas da chuva caindo mansamente....
- Pense bem, este dia não voltará jamais !! 
Tire o pó... se precisar....
mas não se esqueça que você vai envelhecer e muita coisa não será mais tão fácil de fazer como agora... 

E quando você partir, como todos nós partiremos um dia, também vai virar pó!!!


"Não é o que você juntou, e sim o que você espalhou que reflete como você viveu a sua vida."
fonte: email da beth
em tempo: o mesmo digo daqueles que gastam todo o tempo do mundo, fim de semana, lavando seus carros...

Enquanto milhares de animais aguardam adoção, Itália vive boom de compra de animais pela internet

Uma nova tendência cruel está em voga na Itália: a aquisição online e à prestação de filhotes, quase como se fossem objetos. A denúncia foi feita à Prefeitura de Genova, mas é uma prática que parece não ter fronteiras, segundo informações do jornal italiano Il Vostro Giornale.

“O problema é real, porque a internet está na casa de todas as pessoas e muitas se deixam atrair pelo fato de adquirir”, explica Edgar Meyer, assessor da Associação pelo Bem-Estar Animal de Genova. “Se trata de uma escolha totalmente errônea porque pode ser um golpe e, sobretudo, porque não é possível comprar cães e gatos como se fossem um par de calças”.

Meyer diz ainda que optar por acolher um animal é uma escolha que deve ser pensada de forma responsável. “Não é possível passar em frente a uma loja e comprar um filhote baseando-se no impulso do momento. Muito menos se deve optar pela compra”.

Com todos os cães e gatos que estão em abrigos, parece absurdo que alguém escolha fazer uma dívida apenas para ter um animal com pedigree. Este é o caso de quem, vítima da crise econômica que assola a Itália, prefere comprar em prestação o próprio amigo de quatro patas.

A tendência existe também entre criadores, mas a maior parte deles se opõe a parcelar o pagamento, principalmente quando se refere a um cachorro de grande porte. Eles têm medo que, no futuro, o tutor não consiga manter o filhote.

“Cães e gatos não são objetos, são seres vivos. Portanto, não podemos nos comportar como se estivéssemos comprando uma casa ou um carro”, prossegue Edgar Meyer. “Além disso, é uma escolha incompreensível visto que nos canis e nos gatis existem animais de todos os tipos esperando um tutor amoroso.”

fonte: anda

Apabg - feira de adoção

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

Apabg - bingo

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O Trágico Dilema
Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro.

A arte de viver é simplesmente a arte de conviver ... simplesmente, disse eu? Mas como é difícil!

Mas o que quer dizer este poema? - perguntou-me alarmada a boa senhora.
E o que quer dizer uma nuvem? - respondi triunfante.
Uma nuvem - disse ela - umas vezes quer dizer chuva, outras vezes bom tempo...

Dizes que a beleza não é nada? Imagina um hipopótamo com alma de anjo... Sim, ele poderá convencer os outros de sua angelitude - mas que trabalheira!

Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente ... e não a gente a ele!

Mário Quintana

Hayley Legg - blackbird

video

terça-feira, 20 de setembro de 2011

MARCHA PELOS ANIMAIS

Sessão saúde...



Um estudo realizado pelo Jonsson Cancer Center, da Universidade da Califórnia, publicado na revista Clinical Cancer Research, mostrou que o suco de romã é capaz de combater o câncer de próstata.
A pesquisa foi feita medindo as taxas do antígeno prostático específica(APE) que é a proteína indicadora do câncer de próstata, em pacientes que foram tratados por cirurgia ou radioterapia.
De acordo com os pesquisadores, a velocidade de aumento do APE caiu 35% nos pacientes que consumiram suco de romã diariamente. Quanto mais rápido o aumento do APE, maior é o risco de o paciente morrer devido à doença.Segundo o professor Allan Pantuck da Universidade da California e um dos responsáveis pelo estudo, o suco de romã é uma nova estratégia de homens que foram submetidos a tratamentos de câncer de próstata.
fonte: revista dos vegetarianos
enviado pela amiga beth

No dia em que gaúchos celebram costumes farroupilhas, égua é vítima de crueldade na Capital

No dia em que o Rio Grande do Sul celebra seus costumes farroupilhas, uma cena de descaso e crueldade contra um equino emocionou e mobilizou membros de uma comunidade no bairro Mario Quintana, zona norte de Porto Alegre.
Debilitada devido ao abandono, uma égua caiu em um matagal na tarde de segunda-feira e foi espancada por algumas crianças da região, que fugiram em seguida.
— A situação aqui está péssima, o animal não consegue nem ficar em pé, está sangrando. Estamos muito revoltados — relatou a diarista Salete Marques de Jesus, 41 anos, uma das primeiras pessoas a encontrar a égua.
Quando perceberam a agressão, alguns moradores arrastaram o animal até o Parque Chico Mendes, onde seria mais seguro deixá-lo durante a noite. E, nesta terça-feira, dedicaram o 20 de Setembro a tratar e alimentar a égua.
Acostumado a participar de provas campeiras, o auxiliar de serviços gerais Leandro Machado, 21 anos, lamenta a crueldade:
— No Dia do Gaúcho, ver isso é muito triste.
Machado diz que, nesta manhã, ligou para a Brigada Militar, que passou o problema ao Comando Ambiental que, por sua vez, encaminhou a questão à Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).
— Eles [EPTC] disseram que, em função do desfile, não teriam como vir mover o animal. Enquanto isso, o bicho está aí sofrendo — completa Machado.
Segundo a EPTC, um agente estava no local às 15h, aguardando o veículo que faria a remoção do animal para o depósito, onde a égua será tratada até que o dono a procure. O Comando Ambiental da BM afirma que a EPTC é o órgão responsável pelo recolhimento do animal. O batalhão intervém em caso de crime, quando o autor dos maus-tratos está no local.
fonte: zero hora

Égua Estrela curte aposentadoria na sede da Chicote Nunca Mais



A égua Estrela agora está aposentada na sede da ONG Chicote Nunca Mais. Se está frio ela usa capa, e quando chove também usa touca. "A touca ela não aprovou. Fica muito braba, com as orelhas para trás", explica a presidente da Chicote, Fair Soares. Nos outros dias, opta por ficar no quarto, rolando na cama, ou vai pegar Sol. "Ela está mais gordinha, e o pêlo está muito brilhante. Vida merecida depois de ter ficado aleijada de tanto trabalhar", diz Fair.
fonte:chicotenuncamais
ANSEIOS

À minha Júlia

Meu doido coração aonde vais,
No teu imenso anseio de liberdade?
Toma cautela com a realidade;
Meu pobre coração olha cais!
Deixa-te estar quietinho! Não amais
A doce quietação da soledade?
Tuas lindas quimeras irreais
Não valem o prazer duma saudade!
Tu chamas ao meu seio, negra prisão!...
Ai, vê lá bem, ó doido coração,
Não te deslumbre o brilho do luar!
Não ´stendas tuas asas para o longe...
Deixa-te estar quietinho, triste monge,
Na paz da tua cela, a soluçar!...

Florbela Espanca
Linda amizade entre animais





Animais de diferentes espécies relacionam-se uns com os outros numa relação de amizade especial.
É caso para dizer que a amizade não escolhe espécies.
fonte: anda

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Milton Nascimento - san vicente

video

Nei Lisboa - exaltação

video

Feira de adoção

Pontos cegos

Para todas as pessoas (sejam veganas, espíritas, ativistas pelos direitos humanos, ambientalistas etc) que acham que já subiram todos os degraus da vida e que já ocupam um patamar de excelência moral, vale lembrar que a cada degrau que se sobe segue outro, e depois desse outro, mais um, e assim deveria caminhar a humanidade.

Se já atingimos uma compreensão sobre algo, isto significa apenas que estamos prontos para darmos o próximo passo em direção ao próximo aprendizado.

A arrogância é quando, ao assimilarmos algo, enchemos o peito de um orgulho ridículo, e nos consideramos tão acima dos outros que paramos pelo caminho – fazendo e pensando mais do mesmo.

Bem, mas o arrogante se esquece de que no que ele ainda não sabe, ele permanece pequeno diante de muitos seres que já compreendem o que ele ainda é incapaz de ver.

A compreensão se dirige ao infinito, portanto jamais poderemos achar que sabemos muito da vida, pois o todo é inquantificável. E diante de algo que não sabemos o tamanho, é impossível situar-se em termos de muito ou de pouco. Uma reta contém infinitos pontos e, por conceito, não tem início nem fim – se tiver, é um segmento, um pedaço de reta, e não uma reta por definição. Da mesma forma, é o infinito de aprendizados que temos pela frente: há sempre o impulso que nos move para um ponto desconhecido, não temos que achar que somos mais ou menos que os outros, pois jamais saberemos em que ponto da reta estamos, e ainda que soubéssemos, não haveria referencial algum para situar nosso grau de “evolução”.

A mesma pessoa que salva um cão abandonado do frio e da fome nas ruas pode ainda não ser capaz de ver que o pedaço de carne no prato dela vem também do sofrimento de um animal inocente que, como o cão que ela salvou, apenas gostaria de viver e ser amado.

Isso não a torna inferior. Isso apenas mostra que ela, de alguma forma, parou pelo caminho, mesmo estando pronta para o próximo passo. O caminho natural desse processo seria estender a compreensão compassiva para todas as outras espécies vivas, além do cão que ajudou a salvar.

A mesma analogia vale para um vegano que não consome nenhum tipo de derivados animais, mas que, ao tragar o seu cigarro, compartilha da podridão escravizante que move a indústria do tabaco.

Podemos fazer inúmeras combinações, infinitas talvez: o espírita que veste couro ou que nutre fofocas; o ambientalista que trata mal outros seres humanos ou que consome carne; o ativista pelos direitos humanos que utiliza carro para fazer todo tipo de deslocamento, inclusive para ir à padaria que fica a duas quadras de sua casa, alimentando desta forma a indústria sórdida do transporte – responsável por detonar o planeta com emissão de gases tóxicos, aumentar a desigualdade social, e contribuir para que a natureza se converta em espaços mortos e esfumaçados, que privilegiam apenas as máquinas motorizadas.

Essas pessoas, por um lado, não aceitam fazer parte da sórdida indústria da carne, ovos, leite, cigarro, transportes etc, mas cada uma delas alimenta alguma sordidez situada em seu ponto cego.

Cada uma dessas pessoas vê, de um ângulo diferente, um pedaço de tudo que constitui o universo, e, cada uma delas, em contrapartida, tem seu respectivo ponto cego. Para cada pedaço que enxerga, existe um outro que fica na sombra. E o que uma pessoa vê, a outra ignora.

Cada um de nós inegavelmente tem inúmeros pontos cegos. Lugares ainda inacessíveis à nossa compreensão. Mas a boa notícia é que esse estado não é permanente, já que muito do que compreendemos hoje, um dia pertenceu ao nosso conjunto de pontos cegos.

A natureza humana é dotada dessa fantástica capacidade: transformar a si mesma. Não é uma questão de escolha caminhar para frente, mas de orientação natural. Uma árvore não sobe pra baixo, assim como o vento não chove, assim como a cigarra grita e canta enquanto a formiga trabalha. E assim flui a vida.

Podemos escolher nos desnaturalizar até a última instância da existência, e talvez nem estejamos tão distantes disso, mas uma coisa é certa: fluir com a vida é sempre o melhor caminho para que a paz floresça nas nossas raízes. E quanto menos pontos cegos tivermos, mais livres seremos para agir em consonância com a música da vida.

fonte: Fernanda Franco

Protetora pede ajuda

Pessoal preciso terminar esta rifa para poder marcar a nova cirurgia para retirada dos pinos da pata da Tekinha ele esta começando a ferir a carne da pata pois o pino se movimenta.
Já foi vendido 28 nomes só faltam 22 por favor nos ajude.
A Tekinha não pode ficar esperando ela tem que fazer os dois RXs para verificar se calcificou o osso cada RX R$ 50,00,mais o taxi dog R$ 60,00 ,porque se passar do prazo para retirada dos pinos eles podem provocar osteomeolite(infecção nos ossos)Me ajude pessoal se você não quer a rifa,repasse.

O dia10 chegou e pessou eu não terminei a rifa e não tive $ para pagar a clinica.
URGENTE PRECISO TERMINAR ESTA RIFA,ME AJUDEM....
Tenho até o dia 10/09/11 para pagar a clinica e poder leva-la,ela não pode mais esperar...
O tratamento da Tekinha esta parado,pessoal me ajude comprando um nome na rifa.
Preciso vender esta rifa,para poder pagar a conta e continuar cuidando da Tekinha.
Já vendi 16 nomes,ainda faltam 34 nomes,me ajude a pagar o restante da conta da Tekinha,preciso levar ela na clinica para ver como esta a cirurgia,nos ajude.
Agora só faltan R$ 522,00,me ajudem pois o tratamento da Tekinha vai mais uns 5 a 6 meses,pois ela esta com osteoporose,e osso não cola,tenho que ficar fazendo RX a cada 15 dias,cada RX R$ 45,00+taxi dog.
Aniko doou R$ 100,00
são 4 cremes da Victoria's Secrets,um conjunto( meia aliança e brincos de rosca) em ouro
18 k com esmeralda colombiana verde(com certificado de propiedade e garantia do produto)doado por uma grande amiga Alicia.
Quem quiser falar com o veterinário Dr.Pedro tel.2501-5550
Cada nome no valor de R$ 10,00
Estes são os nomes escolha o seu ,marque e deposite o valor diretamente na conta poupança,


deposito nesta conta abixo.
CAIXA ECONOMICA FEDERAL
AGENCIA 0244
OPERAÇÃO 013
C/P 9770-4
CPF 687.308.708.44
Wandercy Gomes



Cel.(11) 9396-6075
Nextel:(11)7761-8164
ID: 11*1001545
email:wandercy-gomes@uol.com.br

Atenção - bingo Apabg


Bingo da Apabg


Novo Horário: dia 07 de outubro, sexta-feira, às 19:30 horas


A cachorrada agradece.....

domingo, 18 de setembro de 2011

Tem gente passando fome.
E não é a fome que você imagina entre uma refeição e outra.
Tem gente sentindo frio.
E não é o frio que você imagina entre o chuveiro e a toalha.
Tem gente muito doente.
E não é a doença que você imagina entre a receita e a aspirina.
Tem gente sem esperança.
Mas não é o desalento que você imagina entre o pesadelo e o despertar.
Tem gente pelos cantos.
E não são os cantos que você imagina entre o passeio e a casa.
Tem gente sem dinheiro.
E não é a falta que você imagina entre o presente e a mesada.
Tem gente pedindo ajuda.
E não é aquela que você imagina entre a escola e a novela.
Tem gente que existe e parece imaginação.

Ulisses Tavares

Ostra feliz não faz pérola

Recentemente estava participando de um Seminário de Extensão em Foz do Iguaçu – PR, quando me caiu às mãos este livro de Rubem Alves: Ostra Feliz não faz Pérola¹.

Trouxe o livro para casa. Pego, pois, emprestado o título para encabeçar este texto e me valho da metáfora desse educador para escrever um pouco sobre “a dor e a delícia” que permeiam a vida de pessoas que se dedicam à causa animalista abolicionista.

A partir dessa metáfora, faço uma releitura própria, pois, cada um, a sua maneira, sabe das tristezas e alegrias que envolvem o cotidiano de quem decide fazer frente a concepções especistas para atuar em prol de animais humanos e não humanos.

Como bióloga, vejo na pérola produzida pela ostra, um objeto belíssimo. Mais pelo fenômeno através do qual ela é gerada do que pelo produto final. E como bióloga não especista faço questão de deixar claro que vejo a pérola como um agente neutralizador da dor. E que quando me refiro à beleza da pérola, me refiro pura e simplesmente à sua beleza intrínseca e hipnotizante, gerada de maneira natural. Uma produção natural entenda-se não forçada, que é da ostra, e não foi feita para o ser humano adornar pescoços e orelhas. A pérola é bonita não porque é valiosa do ponto de vista econômico. Ela é bonita e valiosa porque é uma produção ímpar e elaborada da natureza. Ela possui uma beleza que, embora fascinante, tem uma história de dor.

A ostra, para produzir a pérola na natureza, precisa de algum agente externo - geralmente um grão de areia – que a faça sofrer, inflamar, doer. Então, para livrar-se do sofrimento, a ostra produz camadas e camadas de uma substância chamada nácar. Essas camadas de nácar vão, aos poucos, encobrindo as arestas agudas do grão de areia ou de outro corpo estranho que machucam a ostra.

Passado algum tempo, (dependendo da ostra e do tamanho do agente causador da dor), essas camadas sobrepostas dão origem à pérola. Se não há dor e sofrimento, não há pérola.

Rubem Alves nos lembra que, o ato criador, seja na ciência, seja na arte, nasce sempre de uma dor. Não pude deixar de notar: ato criaDOR.

Com relação às dores relacionadas à trajetória de quem sente empatia pelos animais e se dedica à causa animalista abolicionista, essa dor não precisa ser necessariamente relacionada ao sofrimento físico, como na ostra. E fica fácil aqui, tecer algumas relações contidas nessa metáfora.

De quantas dores se faz um DDA (Defensor dos Direitos dos Animais)? São muitas. Essas dores podem ser de ordem moral, espiritual, até mesmo física (como ignorar nos mais diversos contextos e macabros episódios que presenciamos, as “punhaladas no coração”, os “socos na boca do estômago”, as lágrimas)? Essa dor pode também ter o nome de curiosidade científica. Geralmente é uma coisa que incomoda. Senão, não seria uma dor. Essa dor pode nascer da indignação frente à exploração dos animais e de seus corpos. Pode ser o escárnio, fruto da desinformação, frente ao nosso trabalho.

Essa dor pode ser, por exemplo, ver a ANDA sair do ar por dignamente não se vender a interesses escusos. Pode ser representada também, por saber de obras literárias, a nosso ver, relevantes para a causa animal, rejeitadas por editoras para dar lugar a biografias do quilate de Geisy Arruda e Justin Bieber, por exemplo. Pode ser a frustração de ver projetos gestados por nós com tanto carinho e dedicação de uma vida naufragarem temporariamente por falta de apoio. Ou por simplesmente pensar que não temos onde nos apoiar em alguns momentos.

Essa dor pode ser a negação de um patrocínio para um projeto que julgamos importante. Pode ser a criança que ri da dignidade perdida de um animal, devido à sua educação especista. A dor também pode vir de uma “Ciência” ou de uma “Academia” com venda nos olhos. Essa dor pode vir ainda da incompreensão e da cegueira seletiva massiva frente aos abusos cometidos todos os dias contra os animais, velada ou explicitamente. É o governante especista. E como se não bastasse, aí aparece a mídia tendenciosa para jogar álcool nas lesões…

Sim, todas essas dores – e outras – são agudas e perfuram diretamente nossa carne. Todas essas dores podem ser areias que entram no nosso ego, na nossa vida, na mente e na alma.

A vida dos DDAs que trabalham, estudam, escrevem e militam pelos animais é cheia desses incomodativos “grãos”. Quem tem a capacidade de, por instantes trocar de lugar com os animais e através dessa empatia, sair do comodismo, deve se preparar para enfrentar esses grãos que poderão perfurar o ego e por vezes, a auto-estima dos mais desavisados.

Essas dores e esses grãos de areia incomodam. Mas não o suficiente para abalar nossas convicções. Muito menos para nos fazer abandonar nossos ideais. Porque a exemplo das ostras, de acordo com o tamanho e a quantidade de grãos de areia, vamos, pouco a pouco, ou de uma vez, produzindo o nácar que encobre essas arestas, fazendo com que as areias pontudas parem de nos machucar.

O “nácar” que produzimos tem a forma de nossos propósitos. E este “nácar” à semelhança da dor, também pode assumir muitas formas. Ele pode ser representado por nossas leituras embasadas que nos sustentam em nossa argumentação quando o contexto pede. Também é produzido quando respondemos com um sorriso discreto ou com o silêncio (que não deixa de ser uma resposta) às agressões às nossas convicções. O “nácar” pode ser também o apoio dos nossos companheiros de ideal. Pode ser as produções científicas sérias a respeito. Pode ser nossos argumentos muito bem embasados e fundamentados de que lançamos mão em ambientes hostis e insensíveis à causa. Pode ser o trabalho educativo realizado diuturnamente por professores visionários. Como na ostra, a produção do “nácar” é silenciosa e sem alardes.

Como resposta à dor, surgem então, as pérolas. Nas mais variadas formas: em vitórias judiciais em favor dos animais que até então pensávamos impossíveis, nos educadores que tem a ousadia de serem pioneiros em suas escolas levantando a bandeira do abolicionismo animal, no pai que respeita a opção alimentar vegana do filho desde pequeno. Nos promotores, juízes e advogados preocupados em justiça para todas as espécies. As pérolas são as produções, científicas ou não, que informam e desconstroem padrões arraigados de pensamento. São os estudantes que se rebelam e se manifestam contra a venda de animais, contra os rodeios, contra os circos com animais. São os estudantes universitários que se recusam a assistir aulas experimentais arcaicas que ainda utilizam animais. É o colega, professor universitário que abre a mente para conhecer metodologias que não utilizam animais. São as pessoas que, devido à informação vão, aos poucos, através de suas escolhas diárias na mesa, no vestuário, na sua higiene pessoal, adotando um modelo de ética e de vida baseados em respeito ao outro, humano ou não. É tomar conhecimento de pessoas que nunca haviam lido ou pensado sobre veganismo virem nos dizer que estão começando a repensar seus hábitos e a mudar. É a mídia fazendo o papel de realmente informar justamente. É a ANDA (novamente no ar). Quanta dor e quanto nácar foram produzidos para vermos as muitas pérolas que circulam nesse site?

Mas creio que a maior pérola reside no olhar de um animal que tem restabelecida sua dignidade. Reside em sabermos que um ou vários animais foram poupados da dor e do sofrimento devido a algum tipo de mobilização. E não se trata de utopia. Seríamos masoquistas morais se não acreditássemos que nossas pequenas atitudes contribuem para diminuir o numero de animais que sofrem sob a tirania humana.

Mas ainda há muito, muito trabalho por fazer. Gosto de ler biografias. E quando leio as biografias das pessoas que admiro, percebo que todas, sem exceção, subverteram a ordem, arrancaram as vendas, arcaram com as conseqüências de seus atos e fizeram a diferença. Conscientemente. Estamos conscientes. Que venham as dores. Porque estas, inevitavelmente se transformarão em pérolas. Pérolas belíssimas cintilando para quem quiser ver, mas principalmente para lembrar-nos da importância da perseverança.

E porque principalmente, pelos animais, todas as dores e todos os grãos de areia, sempre valerão a pena.

¹ALVES, Rubem. Ostra Feliz não faz Pérola. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2010.

Marcela Godoy é bióloga e professora universitária.

sábado, 17 de setembro de 2011

Precisa de saco ? Não, Obrigado

A triste história dos sacos plásticos descartáveis que “ganhamos” com tanta cordialidade das lojas…
Informações fornecidas pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos revelam que são consumidos anualmente entre 500 bilhões e um trilhão de sacos plásticos ao redor do mundo. (National Geographic 02/09/2003)
Menos de 1% dos sacos é reciclado. É mais caro reciclar um saco do que produzir um novo.
“ Existe una economia áspera por trás da reciclagem dos sacos plásticos. Processar e reciclar uma tonelada de sacos custa U$ 4000. A mesma quantidade de sacos é vendida no mercado de matérias-primas a U$ 32 ”. Jared Blumenfeld, Diretor do Departamento de Meio Ambiente em São Francisco.
Então … O que acontece com os saquinhos ?
Um estudo de 1975 demostrou que as embarcações transoceânicas lançam aproximadamente 4 milhões de kilogramas de plástico ao mar por ano. As lixeiras do mundo não estão inundadas de plástico porque a maior parte do plástico acaba no oceano . Academia Nacional de Ciências dos EUA.
Os sacos são arrastrados …
… até diferentes lugares do planeta
… até os mares, lagos e rios.
Os sacos encontram o caminho para o mar nos bueiros e encanamentos. CNN.com/tecnhology 16/11/ 2007
Já foram encontrados sacos plásticos flutuando ao norte do Círculo Ártico, e também muito mais ao sul, nas Ilhas Malvinas.
Os sacos plásticos representan mais de 10% dos dejetos que chagam às costas dos EUA. Programa de Monitoramento de Dejetos da Marinha americana.
Os saquinhos plásticos se fotodegradan: com o passar do tempo se decompõe em petro-polímeros menores e mais tóxicos CNN.com/tecnhology 16/11/2007
que finalmente contaminarão os solos e as vias fluviais. CNN.com/tecnhology 16/11/2007
Como conseqüência, partículas microscópicas podem entrar para a cadeia alimentar. CNN.com/tecnhology 16/11/2007
O efeito sobre a vida silvestre pode ser catastrófico. WWF 2005
As aves ficam presas sem esperança . WWF 2005

Cerca de 200 diferentes espécies de vida marinha, incluindo baleias, golfinhos, focas e tartarugas morrem por causa dos sacos plásticos. - Reporte WWF 2005
Morrem depois de ingerir os sacos plásticos, que confunden com comida.
Então … O que podemos fazer ?
Se usamos uma bolsa de tecido, podemos economizar 6 saquinhos plásticos por semana.
Ou seja, 24 sacos por mês.
Ou seja, 288 sacos por ano.
Ou seja, 22.176 sacos ao longo da vida.
Se apenas 1 de cada 5 pessoas neste país fizesse isso, economizaríamos 1.330.560.000.000 sacos plásticos durante nossas vidas.
Bangladesh proibiu os sacos plásticos . MSNBC.com, 08/03/2007
A China proibiu os sacos plásticos gratuitos. CNN.com/asia 09/01/2008
Irlanda foi o primeiro país da Europa a cobrar impostos sobre os sacos plásticos em 2002. Desta forma, reduziu o consumo em 90%. BBC Notícias 20/08/ 2002
Ruanda proibiu os sacos plásticos em 2005. Associated Press
Israel, Canadá, Índia, Botswana, Quênia, Tanzânia, África do Sul, Taiwan e Singapura também proibiram ou estão em vias de proibir os sacos plásticos. PlanetSave.com, 16/02/2008
Em 27 de março de 2007, São Francisco tornou-se a primeira cidade dos EUA a proibir os sacos plásticos. NPR.org (National Public Radio)
Oakland e Boston estão considerando essa possibilidade. The Boston Globe 20/05/2007
Os sacos plásticos são feitos de polietileno: um termoplástico que se obtém a partir do petróleo. CNN.com/tecnhology 16/11/2007
Reduzindo o uso dos sacos plásticos diminuirá o consumo de petróleo, recurso não renovável que gera tantos conflitos...
A China economizará 37 milhões de barris de petróleo por ano graças à proibição dos sacos plásticos gratuitos. CNN.com/asia 09/01/2008
É possível ! Tem gente que ignora tudo esto… mas VOCÊ JÁ SABE!!!
É questão de fazer um pequeno esforço e logo a gente se acostuma a levar a sacola de pano às compras como era antigamente... Topa? É apenas um convite. Se você não topar, não vai acontecer nada com você. Se você começar, vai se sentir melhor.

fonte: instituto nina rosa