Quem sou eu

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013


Prata: abandono e paraplegia


Esta fofa é a Prata! Estamos preocupado com seu futuro. Afinal, ela é   paraplégica e está dividindo territorio com mais de 150 cães. Como sabemos, nos canis e abrigos ocorrem brigas e disputas – por comida ou por pano velho. Temos esperança de conseguir uma família para a Prata, que foi resgatada em um matagal, na Lomba do Pinheiro, na zona Leste de Porto Alegre. Estava com as costas comida de bicheira e não conseguia nem se arrastar devido à fraqueza. Foi recolhida e levada para uma casa que abriga cerca de 190 cães (todos resgatados das ruas, muitos em estado grave). Quem puder ajudar ou adotar Prata, entre em contato com marasantos1973@hotmail.com ou (51) 9792-2419.


fonte: bicho amigo

domingo, 24 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

História e ciência derrubam o mito das oito horas de sono


Você sabe quantas horas deve dormir por noite? Normalmente, a recomendação é de oito horas, de preferência ininterruptas, certo? Mas você sabia que nem sempre foi assim?
O historiador norte-americano Roger Ekrich, depois de 16 anos pesquisando documentos e referências históricas que remontam desde a antiguidade, apresentou um trabalho onde afirma que as pessoas costumavam dividir suas noites de sono em dois períodos de quatro horas.
De acordo com os documentos que Ekrich encontrou — mais de 500 —, ele descobriu que o normal era de que as pessoas se deitassem duas horas após o pôr do sol. Depois de quatro horas, se despertavam, saiam para caminhar ou realizavam qualquer atividade durante uma ou duas horas, voltando a dormir por mais quatro horas, em um padrão de sono dividido em dois turnos.
O que mais surpreendeu o historiador não foi o enorme número de referências a este padrão de sono, mas o fato de ser mencionado como algo absolutamente normal, como se essa fosse a maneira que todos dormiam.

Descanso entre os sonos

Durante o intervalo entre os turnos de sono, as pessoas costumavam ser muito ativas: era durante esse período que se levantavam para ir ao banheiro, fumar e até mesmo visitar os vizinhos; muitos permaneciam em suas camas lendo, conversando ou fazendo... Coisas mais interessantes com seus parceiros.
O sexo durante esse intervalo, inclusive, era uma recomendação médica. Um manual do século 16 aconselhava os casais a praticarem sexo durante esse tempo, pois estariam mais descansados das atividades cotidianas, e ainda teriam tempo para descansar depois do ato.

Fim do intervalo

Você já percebeu que muitos de nós temos problemas de sono, acordando várias vezes durante a noite? Os cientistas sugerem que isso poderia estar relacionado ao novo padrão de sono imposto de oito horas ininterruptas, que seria antinatural. E mais: eles também sugerem que este padrão que nos foi forçado pode inclusive estar interferindo na capacidade natural que os humanos têm de regular o estresse.
Antigamente, as pessoas utilizavam o intervalo entre os sonos para meditar e relaxar e, de acordo com os especialistas, não é uma surpresa que os níveis de estresse, ansiedade, depressão, alcoolismo e abuso de drogas tenham aumentado tanto na vida moderna.
Portanto, se você é daqueles que se despertam no meio da noite, não se desespere. Tente encarar o sono como os nossos ancestrais, relaxando ou meditando um pouco. Quem sabe essa não seja mesmo a melhor forma de descansar.
fonte:megacurioso

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Recanto dos Anjos pede ajuda

Pessoal sei que é muitos apelos,pedidos mais estamos numa situação que mesmo raspando lá no fundo do bolso não temos mais de onde tirar,se não fosse a ajuda dos poucos padrinhos/madrinhas para ração não sei o que seria,ainda sim falta muito mais que a metade também para essa finalidade.Estamos com o Fofão dodói,a voluntária Regiane está fazendo rifa,estamos devendo medicação e precisamos também trazer peludas para castração para podermos doa-las,queremos muito trabalhar forte essa questão da adoção,enfim como podem ver muita coisa para nosso pequeno grupo.

Mais uma situação preocupante é a dívida grande que temos ainda pela construção dos canis,visto que diante dos últimos abandonos se faz mais que urgente,além do período de chuva,isso se tornou prioridade,acontece que infelizmente não temos nada em conta para destinar a esse pagamento,então gostaria de pedir que quem puder nos ajudar,não importa a quantia ficaremos gratas,pois de fato não temos nenhum valor.Ainda falta a colocação dos portões.

Devemos ainda:500 do pedreiro + $ 200 da penúltima parcela do cartão + $ 750 da última parcela


Se vc puder ajudar,aqui vai os dados bancários,que está sendo utilizada minha conta para facilitar controle,pois a voluntária Beth está em recuperação de uma cirurgia:
Banco Bradesco 
Agência:1336
Conta Poupança :1000666-0
Luciana Midori

obs:Por favor peço que me avisem(miluciana@gmail.com) para que possamos fazer o controle e manter-lhes informado sobre campanha.


O Rio e o Oceano

Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada,os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar.Voltar é impossível na existência. Você
pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece.
Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.
Por um lado é desaparecimento e por outro lado é
renascimento.
Assim somos nós.
Só podemos ir em frente e arriscar.
Coragem !! Avance firme e torne-se Oceano!!!
Osho

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Fotógrafo gaúcho pode ser preso na Espanha por ecoterrorismo

O gaúcho Jonas Amadeo Lucas, 35 anos, percorre o mundo fotografando animais. No entanto, as lentes do santa-cruzense que mora em Madri, na Espanha, estão voltadas para captar o sofrimento dos bichos criados para morrer. Depois de cinco anos documentado e publicando essas imagens, o trabalho pode o levar a prisão.

Conhecido por Jon Amad, o fotógrafo, cujo trabalho investigativo compreende entrar em fazendas e matadouros para registrar maus-tratos de animais, está sendo acusado de associação ilícita e invasão de propriedade.

— Alegam que o trabalho jornalístico que faço é um crime. Ou seja, o criminoso não é aquele que aprisiona e tortura os animais, é aquele que conta a história para a sociedade — justifica.

Durante os cinco anos em atua como ativista, Amad já passou por mais de 20 países, entre eles Itália, Portugal, Alemanha, Marrocos, Holanda, México, Argentina e Brasil, registrando crueldades.

— O que eu vi foi sempre igual: milhares de maneiras diferentes de discriminar e usar os animais como simples produtos para enriquecer. Já vi lugares onde tudo era pesadelo, com cheiro insuportável, animais vivendo sobre seus excrementos, feridos e loucos — relata o fotógrafo.

Segundo Amad, em 2011, houve mobilização por parte da Guarda Civil espanhola que realizou uma operação chamada de “antiterrorista” na casa de ativistas e seus familiares e terminou na prisão de três ativistas.

Eles são acusados de envolvimento na libertação massiva de visons — mamíferos parecidos com doninhas que, criados em gaiolas, são abatidos e têm a pele usada na confecção de roupas — e de ecoterrorismo, que são práticas ilegais e terroristas para fins de preservação da natureza e dos animais.

Há cerca de duas semanas Amad, único estrangeiro, foi incluído no processo junto de outros 12 ativistas espanhóis.

— O que contece é que os próprios granjeiros soltam os visons para cobrar o seguro e dizem que os culpados são os ativistas. Eu pessoalmente não sou contra a soltura de visons, mas estão me acusando de uma coisa que eu não fiz — defende-se o gaúcho.

Os advogados da campanha “Unidos contra La represión” estão atuando no caso. Eles defendem ativistas de diferentes entidades de animais na Espanha desde 2011, quando milhares de visons foram libertados no país, mas garantem que não têm envolvimento nenhum com o caso. Eles entraram com pedido de anulação dessa acusação, mas ainda não obtiveram resposta.

Segundo nota publicada pelos advogados, o juiz Vázquez Taín apresentou uma carta em que “não argumenta motivos para a imputação, e que figuram inclusos os mesmos nomes associados a diferentes granjas em cidades distintas em um mesmo dia”.

O jornal espanhol ABC publicou declaração de Taín em que ele afirma que a ação dos ativistas “não é ecologia, causam terror, e algumas fazendas foram obrigados a fechar, como resultado dessas ações”. Para os ativistas, no entanto, as declarações demonstram a “parcialidade” em favor dos criadores de animais e ainda o acusam de pertencer à família de granjeiros.
fonte: zero hora

Respeite a vida, não coma os animais


domingo, 10 de fevereiro de 2013

Manifesto pela inclusão dos direitos animais no programa do futuro novo partido de novo tipo
Assine e conte a um amigo sobre isso
VEDDAS convoca seus parceiros, apoiadores e todos os defensores da causa animal a assinarem o manifesto pela inclusão dos direitos animais nos princípios e programa do futuro novo partido de Marina Silva.
Assine, compartilhe: www.tinyurl.com/manifestomarina
No próximo dia 16 de fevereiro, acontecerá em Brasília a plenária pela fundação de um novo partido político. Tendo como principal liderança Marina Silva, o novo partido propõe-se a ser radicalmente diferente.
A apresentação desse manifesto será determinante para firmar o compromisso com a causa animal desde os pilares desse novo partido que já nasce com suas raízes na preservação do planeta e ruptura com a lógica antropocêntrica, chamando para uma forma renovada e ética de se fazer política. Até o presente momento, a aceitação da inclusão dos direitos animais no programa não tem sofrido oposição, porém esse documento será importante para a efetiva inclusão do tema.
Ao expressarmos o nosso desejo na forma da assinatura a esse manifesto, contribuiremos para que esse seja o primeiro partido político no Brasil com menção a essa temática já no seu nascimento.
O VEDDAS estará presente em Brasília para acompanhar a assembleia de fundação do novo partido e certificar que o tema será incluso integralmente nos termos do manifesto que pode ser lido e assinado emwww.tinyurl.com/manifestomarina.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Exercícios faciais para uma pele mais firme

Assim como nosso corpo, nossos músculos faciais também precisam de exercícios.
Costumamos exercitar nosso abdômen, nossos bíceps, mas e a nossa face? Ela também possui músculos que precisam ser exercitados.
Os exercícios faciais estão se tornando uma recomendação cada vez mais popular como parte de um regime anti-envelhecimento. Pode ser difícil de avaliar, no momento, até que ponto os exercícios são eficazes em prevenir ou reduzir os efeitos do envelhecimento, mas eles certamente têm esquentado muitos debates entre os especialistas.
Pensando nisso, vou ensinar alguns exercícios fáceis, que você pode fazer na frente do computador, na hora do banho e onde mais achar conveniente. Vamos malhar?


Exercício para tonificar o pescoço e o maxilar

Sente-se com as costas retas e incline a cabeça para trás, de modo que você esteja olhando diretamente para o teto. Com seus lábios pressionados faça movimentos exagerados, como mastigar 20 vezes. Este movimento ajuda a trabalhar os músculos do pescoço e da mandíbula.

Exercício para queixo e boca

Sente-se com as costas retas e incline a cabeça para trás, até que esteja olhando para o teto. Feche seus lábios e empurre a língua para fora tanto quanto você possa, sem causar desconforto. Respire de forma uniforme e conte até 10 antes de retornar a língua para dentro da boca.

Exercício para olhos e testa

Sente-se com as costas retas e olhe para a frente. Levante as sobrancelhas e gire os olhos para o extremo da esquerda e da direita. Repita cinco vezes.

Exercício para boca e mandíbula

Sente-se com as costas retas e olhe para a frente. Abra sua boca tão amplamente quanto for capaz, de forma confortável. Respire uniformemente pelo nariz e conte até 10. Feche a boca normalmente.

fonte:  Beleza sem Crueldade - Lili Goes

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013


Porquinhos procuram família vegetariana em São Paulo e região


O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município de Osasco, a 23 km de São Paulo, recolheu das ruas da cidade uma pouca e 11 filhotes abandonados. Segundo a página oficial do CCZ de Osasco no Facebook , os animais chegaram nesta quarta-feira (06) e a equipe do órgão está agora procurando uma família que queira adotar os animais.
A preocupação agora é que estes animais sejam encaminhados para uma família que não os coma, por isso, a equipe do CCZ dá preferência à pessoas vegetarianas para a adoção.
Entre em contato com o CCZ de Osasco
Endereço: Av. Prof. Lourenço Belloli, 1480 – Pq. Ind. Mazzei
Fones: 11 3686-0135 e 3696-9390
E-mail: ccz.ss@osasco.sp.gov.br
Site: www.osasco.sp.gov.br/ccz
clique em cima para ampliar

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Vitor Ramil - noite e dia

video

clique em cima para ampliar
Adeus, Brida!

“Amor da minha vida, tenho que escrever estas palavras a ti para conseguir seguir em frente. Ontem morri junto contigo, não acredito que  não esteja mais ao meu lado, olho para cada canto da casa a tua procura e não te acho, isso me causa tanta tristeza que nada mais faz sentido. Cadê meu amor correndo atrás de mim o dia inteiro? Ou deitada ao meu lado quando não estava bem e em todos os momento que lembro como se fosse ontem. Como vou sobreviver sem ter que colocar mais cadeiras em cima da cama para não deitares? Agora posso dormir a noite inteira sem acordar com tua batidas de orelhas ao meu lado pedindo para te tapar com teu edredom cor de rosa que tanto amavas.
Agora posso ligar o ar condicionado nos dias quentes porque sei que não irás ficar resfriada e com frio. Mas teus 60 quilos de amor em cima de mim estão fazendo muita falta. Tuas manas caninas não comem desde que tu foste e como eu não entendem tua partida tão rápida. BRIDA sabes que foste um dos grandes amores de minha vida. Iluminava meus dias e ninguém me amou tanto quanto tu. Foste com certeza, afora minha família, o melhor presente que recebi na vida. Quem nos conheceu sabia que partilhávamos o mesmo coração. Fomos feitas uma para a outra. E agora,como vou viver sem tua presença? Como vou sair e não te ver no portão na volta? Agora posso ir tranquila, porque sei que quando voltar tu não estarás deitada sem comer e hibernando até eu chegar…
Eu sei que tenho que seguir em frente, porque muitos dependem de mim, mas quero te fazer um pedido especial: ‘Quando puderes venha me visitar. Basta bater as orelhas e eu saberei que estás ao meu lado. Basta colocar o focinho em cima de minha barriga quando eu estiver deitada que eu irei sentir teu cheiro e teu contato. Pede a São Francisco de Assis que te mande logo de volta para cá. Estarei te esperando ansiosa’. Meu amor, a mãe te ama muito. Só nos duas sabemos o que éramos uma para a outra. Lembra quando eu ficava doente? Tu não saía do meu lado até eu levantar. Lembra quando a mãe trazia novo favelado para casa e tu nunca deixava ninguém judiar porque sabia que aquele ser que estava chegando precisava de ajuda? Me sobrou pouca coisa tua. Teu edredom, tua cama, tua coleira e teu prato. E hoje tenho que recolher tudo isso e guardar teus últimos vestígios…
Me deixaste uma grande herança: a verdeira amizade, o verdadeiro amor. Deus me deu o privilégio de te ter por oito anos. Segue em paz amor! Prometo que não vou mais ficar chorando pelos cantos te deixando mais triste, porque sei que foste muito bem recepcionada quando chegaste ontem no céu. Afinal, conheces muitos ‘au’migos por aí. Alguns que tentamos ajudar e não conseguimos, mas sei que vai com tua alegria e paciência continuar ajudando a todos que precisam. E eu fico aqui. As tuas fotos ficarão no mesmo lugar e o pedaço do meu coração que levou será substituído por um pedaço do teu. Lembrarei de ti por toda minha vida, meu Bidu amor, vai com Deus”.
fonte: Bicho Amigo - Correio do Povo
Meu cachorro me sorriu latindo. Literalmente

Na história da música popular brasileira, nenhum outro fez tantas músicas sobre ecologia e animais como o rei Roberto Carlos. Isso bem antes, muito antes, da consciência ambiental e da defesa dos animais virarem assuntos na realidade midiática virtual e real.

Em um de seus versos mais memoráveis, ele cantava (em 1974! até eu era jovem e cabeludo naquele século passado, rs): “Meu cachorro me sorriu latindo…”

O compositor já anunciava o que todo mundo que convive com cachorros também já sabia: Cachorro sorri, latindo. Pede para passear, latindo. Convida para brincar, latindo. Avisa que está com fome, latindo. Revela seus desagrado e dores, latindo. E, do início ao fim da relação íntima e diária, cada bípede humano aprende a diferenciar os diferentes timbres e significados dos latidos de seu cão. Então, que nossos peludinhos falam latindo não é novidade.

A grande revelação é a ciência (leia-se: biólogos e quejandos) finalmente reconhecer que nem o rei nem nós, cachorreiros, estávamos imaginando ou exagerando a realidade da comunicação canina.

Cachorros falam latindo e latem falando, de verdade, claramente, em alto e bom som. O que as pesquisas científicas recentes trouxeram à tona, também, foi um fato que muita gente ignora: os cães aprenderam a latir única e exclusivamente para se comunicar com os animais humanos, essa espécie que os acolheu, cuidou e alimentou nos últimos 15 mil anos.

É surpreendente e delicioso lembrar que os peludinhos não aprenderam a latir para os outros irmãos peludinhos. Mas sim para serem compreendidos por nós, os peladinhos. A linguagem que um cão usa com seus pares não é o latido. Usa a postura, o olfato, o movimento corporal etc. Não existe outra espécie que tenha desenvolvido uma linguagem específica para nos contar como se sente e o que deseja.

Uma cabra entende o balido de outra. Um boi entende o mugido de outro. Um pássaro entende o canto do outro. Um macaco entende o grunhido do outro. Até o tetravô dos cães domésticos, o lobo, entende o uivo do outro. Mas um cão não entende o latido de outro cão. Quando seu cachorro late para outro cachorro é apenas para avisar você sobre o intruso no pedaço.

E a comunicação entre cachorros e humanos é tão aprimorada que só aqueles são capazes de interpretar os olhares e gestos deste.

Se você olhar ou apontar para um lugar onde está escondido o petisco de seu cão, ele vai direto para lá. Não precisa de treinamento algum. Faz parte de suas habilidades inatas. Nem nossos queridos primos, os chimpanzés, conseguem esse tipo de proeza.

E um simples SRD se mostra capaz de atribuir significado, portanto, compreender, até 165 das palavras que pronunciamos.
É bastante vocabulário se levarmos em conta (isso também é estudo científico disponível nos googles da vida) que o adolescente de hoje utiliza apenas 350 palavras em seu dia a dia.

Por isso da próxima vez que seu amiguinho canino latir, preste mais atenção. É com você mesmo que ele está falando.
fonte: Ulissescão Ulisses Tavares

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013



Escolha a vida, não a morte

clique em cima para ampliar
Por que você come carne?
O homem, por ser o único animal racional do planeta Terra, possui capacidade de decisão, de reflexão. Por esse motivo, não é racional que o homem se comporte como os outros animais irracionais, alegando seguir uma “cadeia alimentar”, da mesma forma que os demais animais seguem.

Não somos iguais aos outros animais, porque possuímos essa capacidade de raciocínio, e justamente por isso, nos julgamos superiores aos outros seres. Mas, a racionalidade do homem não traz superioridade, e sim muita responsabilidade. Não existe superioridade na natureza, existe unidade. Estamos todos conectados. O mal que você faz ao próximo é o mal que faz a si mesmo. A cura que você proporciona ao próximo é a cura para as próprias enfermidades. E como próximo eu me refiro a tudo que existe.

O argumento da superioridade humana para justificar a exploração dos outros animais é, sem dúvida, fascista, e argumentos semelhantes já foram empregados para justificar a escravidão dos negros, a dominação e invasão de países e territórios, a submissão feminina, diversos genocídios, só para citar alguns exemplos. E muitas coisas que hoje consideramos atrocidades históricas, já foram socialmente aceitas. E tantas coisas que são socialmente aceitas e apoiadas hoje, no futuro serão entendidas como o absurdo que são.

É preciso lembrar que não é possível que uma pessoa consuma carne e seja ambientalista ao mesmo tempo, ou se diga sensível pela causa animal, se dizendo contra testes em animais, exploração em circos, rodeios, maus tratos de animais domésticos… e consumindo carne? Usando acessórios de couro? Não soa coerente, concorda? Ingerir carne é semelhante às posturas narradas acima, é a mesma coisa que maltratar qualquer animal, só que é socialmente aceito, porque é bom para a economia, porque é comum, porque todo mundo faz. Como é socialmente aceito, quem consome pensa que não está fazendo nada demais. Oras, nem tudo que é socialmente aceito é necessariamente moral. Nós sabemos bem disso, tantas coisas que atualmente são consideradas comuns, mas estão longe de ser enquadrar até nas mais liberais concepções de moral, o rol é extenso.

Apenas evitamos refletir e fazer uma autocrítica em relação ao consumo de carne, de couro animal, por pura conveniência, comodismo. A autocrítica dói, refletir dá trabalho, tomar uma postura diferente da maioria é um ato de coragem e traz consequências sociais, que nem todos estão dispostos a encarar. Mas dói mais ainda, o sofrimento dos nossos amigos animais, diariamente, para sustentar luxos desnecessários.

Ser vegano é muito fácil, existem diversas opções de alimentos sem origem animal, sem sofrimento, acontece que a cultura te impossibilita de enxergar o quão fácil é seguir o melhor caminho. Está na hora de refletir, você, ser humano, animal racional, vivendo em uma sociedade organizada e civilizada, não precisa seguir tradições, obedecer a costumes. E sabe por quê? Porque você pensa e deve seguir seus próprios sentimentos e a sua concepção de moral. Deve evoluir, porque assim deve caminhar a humanidade.
As pessoas que não sentem fraternidade por todos os seres, não praticam a racionalidade em sua plenitude, então, carecem de humanidade.

Por que você come carne?

Faça essa pergunta a si mesmo, caso não encontre uma resposta racional e razoável, é hora de parar. Uma simples recusa na hora de comer, uma escolha na hora de comprar cosméticos, roupas, bolsas, e você estará salvando vidas e, incentivando o fim de uma indústria cruel que não pode ter espaço em uma sociedade civilizada e formada por seres racionais.

Assim eu acredito… que somos racionais. Nós ainda somos?

Ohana Nery é advogada criminalista de Vitória, Espírito Santo.

fonte: vista-se

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013


Se algumas pessoas se afastarem de você, não fique triste, isso é resposta da oração: “livrai-me de todo mal, amém”.
Caio Fernando Abreu